MAIS LIDAS AGORA:
Quarta, 02 Maio 2018 07:47

Ceará ganha câmara holandesa

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

A Bradutch, Câmara Brasileira de Comércio do Brasil na Holanda, inaugurou seu escritório de representação no Ceará nesta quarta-feira (02/05), em solenidade na sede da FIEC. A data do evento foi escolhida em razão do voo inaugural da companhia holandesa de aviação KLM, que parte nesta quinta-feira (03/05) de Fortaleza com destino a Amsterdã.  O Ceará tem estreitado os laços com a Holanda, desde que iniciou a exportação de flores e frutas e evoluiu para a parceria que resultou na implantação do hub Air France-KLM e Gol. Estão em curso negociações com o Porto de Roterdã e agora ganha essa representação para promover oportunidades de negócios entre empresas brasileiras e holandesas. Mas o Ceara não é o único no radar da Bradutch.  Outros escritórios estão sendo inaugurados também em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Goiás, Brasília e Tocantins.

Roterdã-Pecém

Desde maio de 2017 vinham ocorrendo negociações da vinda da Bradutch para o Ceará. Expectativa é que a entidade holandesa ajude a selar o arrastado acordo da holding CIPP S.A, controladora do Porto do Pecém, com o Porto de Roterdã. Os holandeses já sinalizaram a pretensão de participar com pelo menos 10% do capital, mas dizem que não há pressa para fechar as negociações.

Setor moveleiro

De janeiro a março de 2018, o setor moveleiro cearense exportou US$ 152,1 mil, valor 65,1% maior do que o do mesmo período de 2017. As importações também acompanharam as exportações, com aumento de 197,3%, chegando à marca de US$ 1,17 milhão. A Dinamarca lidera o ranking dos países compradores dos móveis cearenses, com US$ 33,1 mil. Porto Rico (US$ 20,3 mil) vem em seguida. A China ultrapassou Israel como principal origem das importações de móveis, com US$ 466,3 mil. No ranking nacional de exportações do setor de móveis, o Ceará figura na 14ª posição, segundo dados do Ceará em Comex, estudo do Centro Internacional de Negócios da FIEC.

Metalurgia I

O setor metalomecânico responde por mais da metade (54,4%) da pauta exportadora cearense no primeiro trimestre de 218. Nesse período foram vendidos para o exterior US$ 266,1 milhões apenas em produtos metalúrgicos, 9,4% menor do que em 2017. Com relação as importações do segmento no primeiro trimestre, o decréscimo foi de 4,6% entre 2017 e 2018, atingindo a marca de US$ 105,9 milhões. A balança comercial do setor apresentou superávit de US$ 160,2 milhões.

Metalurgia II

O Ceara ocupa a 9ª colocação no ranking dos principais estados exportadores do setor metalomecânico, a mesma posição registrada em fevereiro. A respeito dos destinos do metal cearense, diferente do que se temia com a movimentação ocasionada pelas tarifas norte-americanas, as exportações para os Estados Unidos aumentaram 43,8% entre 2017 e 2018, e passaram de US$ 51,9 milhões nos dois primeiros meses desse ano, para US$ 78,6 milhões no acumulado até março. A Alemanha merece o destaque por ter crescido suas compras do produto cearense em 707,5%, ficando em terceiro lugar nessa lista com US$ 42,1 milhões.

China se mantém

A China se mantém como principal fornecedor do setor metalomecânico para o Ceará. Apesar da queda de 24%, foi importado do país no primeiro trimestre deste ano, US$ 42,5 milhões, conforme dados do Ceará em Comex, da FIEC.

 

Lido 351 vezes
Beto Almeida

Porto S/A