MAIS LIDAS AGORA:
Marcelo Raulino

Marcelo Raulino (3)

Um dos momentos mais importantes antes da viagem é o de arrumar as malas. Quais roupas levar? O que é essencial? São muitas opções e decisões para tomar, mas se foi preciso sentar na bagagem para conseguir fechá-la e gritar por ajuda para carregá-la para fora do quarto, então é uma boa ideia rever e riscar algumas coisas da lista de “O que levar?”.

Para ajudar na organização, a gerente de produtos da CI Intercâmbio e Viagem, Cintia Gabriel, dá cinco dicas para deixar qualquer bagagem mais leve e ter uma boa viagem. “Antes de tudo é importante saber que você não precisa levar tudo do Brasil, pode deixar algumas coisas para comprar no país de destino”, explica Cintia.

Não deixe para fazer as malas um dia antes da viagem

Montar a mala na véspera da viagem só fará com que se leve peças a mais, ou mesmo desnecessárias. “O ideal é começar a arrumar a mala uma semana antes do embarque, assim você faz as coisas com calma e leva somente o necessário. Fazer uma lista também ajuda a não esquecer nada e a correr atrás do que ainda está faltando”, comenta a gerente.

Se você nunca usou no Brasil, então não precisa levar

Uma ótima dica é evitar carregar coisas que entram na lista do “talvez” e levar sempre roupas e sapatos que são mais confortáveis. “Às vezes, ficamos em dúvida se levamos aquele casaco lindo e enorme que nunca usamos, mas dificilmente iremos usar na viagem. O ideal é saber como está o clima para a região que se está viajando. Se for frio, um bom casaco e uma segunda pele são suficientes”.

Organização é tudo

O momento de organizar a bagagem é como montar um quebra cabeça em que toda peça tem que ser encaixada no seu lugar. “Coloque as nécessaires e outros acessórios entre os vãos das roupas, isso otimizara o espaço. Outra dica é colocar as peças que você vai mais usar, como pijama e peças íntimas, por cima e em “rolinhos””, explica.

Evite levar muitos livros ou revistas para o voo

Escolher o voo para colocar todas as leituras em dia não é uma boa ideia, mesmo porque os livros e revistas pesam e depois de ler o viajante terá que carregá-los. “O ideal é levar apenas um livro. Uma excelente opção hoje em dia é colocar um bom livro no tablet ou celular e ler por um aplicativo. Nesse caso, pode por quantos livros quiser, e evitar pesos desnecessários”.

As peças chaves

Para finalizar a mala só com o essencial e não carregar peso à toa, algumas peças não podem faltar em qualquer lugar do mundo: tênis, chinelo, calça e shorts, blusas e camisetas, casaco ou moletom. Esses são itens que independente do clima serão necessários, afinal mesmo quando está muito calor, pode dar aquela esfriadinha.

Com essas instruções o viajante, além de conseguir economizar não levando excesso de bagagem, vai aproveitar com tranquilidade a viagem, certo de que não esqueceu nada. “Assim o viajante conseguirá trazer várias lembranças dessa experiência na mala e na memória”, finaliza Cintia.

Sobre a CI

A CI Intercâmbio e Viagem foi criada em 1988, na cidade de São Paulo. Em 29 anos de história, a agência já expandiu para 21 estados brasileiros e 4 países (Austrália, Irlanda, Nova Zelândia e Canadá), com mais de 130 unidades contratadas, sendo hoje a empresa mais reconhecida no segmento. A CI trabalha com experiências internacionais únicas, seja para estudo, trabalho ou turismo. Cursos no Exterior, High School, Intercâmbio Teen, Trabalhar e Estudar e Mochilão são os programas mais procurados, principalmente, entre jovens de 13 a 35 anos. Ao longo da sua história, a empresa foi responsável pelo embarque de mais de meio milhão de clientes para o exterior. Para entregar uma solução completa para o cliente, a CI possui um mundo de experiências com as unidades de negócios que fazem parte do grupo, como a CI Experience Brazil, responsável pelos programas incoming; a Amaze, empresa especializada em viagens para estudantes do Ensino Fundamental e Médio; a Amaze Sports; a CI Universidades; a CI Seguros; e a CI Vistos.

Quinta, 12 Abril 2018 10:21

Ponta Grossa: paraíso na beira do Ceará

Escrito por

Imagine uma praia paradisíaca, onde os moradores, em sua maioria da mesma família, os “Crispim”, formam uma colônia de pescadores e que o único barulho são de pássaros e das ondas do mar?

Longe do burburinho das grandes cidades está encravada quase na fronteira com o Rio Grande do Norte, a Praia da Ponta Grossa, em Icapuí. O local é habitado por pescadores que afirmam ser descendentes de um náufrago holandês, que no início do século XX. Ele teria chegado ao local e lá formou família. Descendentes de hoje contam a história, alguns louros de olhos azuis, bem diferentes da gentílica cearense. No local há um pequeno museu com peças do naufrágio encontradas na Praia, que estao na casa do seu Jonas Crispim. A idéia é criar um museu no local.

A Praia é um espetáculo, com suas falésias coloridas e fontes de águas minerais. As águas do mar são mansas e convidam o visitante para um banho ou para passeios nas suas margens para apenas visualizar o espetáculo da natureza. No local, um dos pescadores comercializa churrasco de lagosta e bebidas variadas. Carros 4×4 param ao redor do vendedor. Na beira mar não tem infraestrutura de barracas, mas os visitantes não ligam para isso. Querem aproveitar as belezas do local.

Na pequena vila, formada por pouco mais de 200 casas, há um pequeno comércio e barracas com restaurantes, onde o forte é a cozinha regional, mas há também pizzarias e lanchonetes nas proximidades. Algumas pequenas pousadas, cujos donos são os próprios moradores, oferecem diárias com preços bem convidativos.

Como chegar

Como chegar de transporte particular:

Saindo de Fortaleza/CE (198km): Saída pela av. Washington Soares > Seguir pela CE-040 em direção ao município de Fortim (120 km).  Passando as duas entradas de Fortim, sem entrar na cidade, continuar na CE-040 até a BR-304. Seguir na BR-304, passando direto pela entrada de Aracati e continuando em direção a Mossoró. Quando chegar ao triângulo, entrar na CE-261 em direção a Icapuí. Seguir em direção a Icapuí até o próximo triangulo, onde tem a placa indicando a entrada de Redonda e Ponta Grossa à esquerda. Virar à esquerda. Chegando em Redonda, a estrada para Ponta Grossa é a primeira estrada asfaltada à esquerda (há uma placa indicando Praia de Ponta Grossa). Seguir direto até a praia de Ponta Grossa. Ao final da estrada, há uma bifurcação em Y. Entrar à direita nessa bifurcação em uma descida acentuada.

Como chegar de ônibus rodoviário:

Empresa São Benedito – Rodoviária Engenheiro João Tomé – Linha Fortaleza / Aracati

Contatos: (+55 85) 3444.9999

Duração média de viagem até Aracati: 3h

Valor médio da Passagem: R$15,00 (a confirmar).

Importante: Descer na Praça Matriz ou na Rodoviária e pegar táxi até a Praça da Comunicação, de onde partem os ônibus para Ponta Grossa. Outra opção é pegar um táxi de Aracati até Ponta Grossa, ou combinar o transporte com a comunidade. O percurso leva cerca de 40 minutos.

Empresa Viação Icapuí– Praça da comunicação – Linha Aracati / Ponta Grossa

Contatos: (+55 85) 3444.9999

Duração média de viagem até Aracati: 1h40

Valor médio da Passagem: R$6,00 (a confirmar).

Importante: Descer na Barraca MACURA

Onde se hospedar:

Pousada Canaã: A Pousada possui 8 suítes equipadas com cama de casal ou de solteiro e espaço para armar redes de frente para o mar. Os quartos possuem geladeira, TV e ventiladores.

Chalé Canaã: O Chalé possui uma suíte com cama de casal e solteiro, TV, cozinha com geladeira e fogão e varanda com vista para o mar.

Chalé Pizon: O chalé possui uma suíte com cama de casal e solteiro, TV e varanda com espaço para armar rede.

Chalé Jabarana: O chalé possui uma suíte com cama de casal e solteiro, TV e varanda com espaço para armar rede.

Pousada Crispim: A pousada possui 5 suítes equipadas com cama de casal e solteiro e espaço para armar rede. Os quartos possuem varanda, geladeira, TV e ventiladores. Alguns quartos possuem ar condicionado e chuveiro quente.

Pousada Ponta Grossa: A pousada possui 3 quartos com cama de casal e espaço para armar rede, ar condicionado, geladeira e varanda.

Onde se alimentar:

Barraca Canaã: Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 90 pessoas.

Lanchonete Canaã: A lanchonete serve um cardápio variado de salgados, sucos naturais, bolos, café e tapioca.

Barraca Pantanal: Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 110 pessoas.

Lanchonete Pindú: A lanchonete serve diversos tipos de salgados, sucos naturais, bolos, café e tapioca.

Barraca do Sadrack: Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 90 pessoas.

Mercadinho Mizael: Mercadinho na comunidade onde é possível adquirir produtos diversos.

Barraca MACURA – Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 70 pessoas.

Quarta, 11 Abril 2018 10:31

Ponta Grossa: paraíso na beira do Ceará

Escrito por

Imagine uma praia paradisíaca, onde os moradores, em sua maioria da mesma família, os “Crispim”, formam uma colônia de pescadores e que o único barulho são de pássaros e das ondas do mar?

Longe do burburinho das grandes cidades está encravada quase na fronteira com o Rio Grande do Norte, a Praia da Ponta Grossa, em Icapuí. O local é habitado por pescadores que afirmam ser descendentes de um náufrago holandês, que no início do século XX. Ele teria chegado ao local e lá formou família. Descendentes de hoje contam a história, alguns louros de olhos azuis, bem diferentes da gentílica cearense. No local há um pequeno museu com peças do naufrágio encontradas na Praia, que estao na casa do seu Jonas Crispim. A idéia é criar um museu no local.

A Praia é um espetáculo, com suas falésias coloridas e fontes de águas minerais. As águas do mar são mansas e convidam o visitante para um banho ou para passeios nas suas margens para apenas visualizar o espetáculo da natureza. No local, um dos pescadores comercializa churrasco de lagosta e bebidas variadas. Carros 4×4 param ao redor do vendedor. Na beira mar não tem infraestrutura de barracas, mas os visitantes não ligam para isso. Querem aproveitar as belezas do local.

Na pequena vila, formada por pouco mais de 200 casas, há um pequeno comércio e barracas com restaurantes, onde o forte é a cozinha regional, mas há também pizzarias e lanchonetes nas proximidades. Algumas pequenas pousadas, cujos donos são os próprios moradores, oferecem diárias com preços bem convidativos.

Como chegar

Como chegar de transporte particular:

Saindo de Fortaleza/CE (198km): Saída pela av. Washington Soares > Seguir pela CE-040 em direção ao município de Fortim (120 km).  Passando as duas entradas de Fortim, sem entrar na cidade, continuar na CE-040 até a BR-304. Seguir na BR-304, passando direto pela entrada de Aracati e continuando em direção a Mossoró. Quando chegar ao triângulo, entrar na CE-261 em direção a Icapuí. Seguir em direção a Icapuí até o próximo triangulo, onde tem a placa indicando a entrada de Redonda e Ponta Grossa à esquerda. Virar à esquerda. Chegando em Redonda, a estrada para Ponta Grossa é a primeira estrada asfaltada à esquerda (há uma placa indicando Praia de Ponta Grossa). Seguir direto até a praia de Ponta Grossa. Ao final da estrada, há uma bifurcação em Y. Entrar à direita nessa bifurcação em uma descida acentuada.

Como chegar de ônibus rodoviário:

Empresa São Benedito – Rodoviária Engenheiro João Tomé – Linha Fortaleza / Aracati

Contatos: (+55 85) 3444.9999

Duração média de viagem até Aracati: 3h

Valor médio da Passagem: R$15,00 (a confirmar).

Importante: Descer na Praça Matriz ou na Rodoviária e pegar táxi até a Praça da Comunicação, de onde partem os ônibus para Ponta Grossa. Outra opção é pegar um táxi de Aracati até Ponta Grossa, ou combinar o transporte com a comunidade. O percurso leva cerca de 40 minutos.

Empresa Viação Icapuí– Praça da comunicação – Linha Aracati / Ponta Grossa

Contatos: (+55 85) 3444.9999

Duração média de viagem até Aracati: 1h40

Valor médio da Passagem: R$6,00 (a confirmar).

Importante: Descer na Barraca MACURA

Onde se hospedar:

Pousada Canaã: A Pousada possui 8 suítes equipadas com cama de casal ou de solteiro e espaço para armar redes de frente para o mar. Os quartos possuem geladeira, TV e ventiladores.

Chalé Canaã: O Chalé possui uma suíte com cama de casal e solteiro, TV, cozinha com geladeira e fogão e varanda com vista para o mar.

Chalé Pizon: O chalé possui uma suíte com cama de casal e solteiro, TV e varanda com espaço para armar rede.

Chalé Jabarana: O chalé possui uma suíte com cama de casal e solteiro, TV e varanda com espaço para armar rede.

Pousada Crispim: A pousada possui 5 suítes equipadas com cama de casal e solteiro e espaço para armar rede. Os quartos possuem varanda, geladeira, TV e ventiladores. Alguns quartos possuem ar condicionado e chuveiro quente.

Pousada Ponta Grossa: A pousada possui 3 quartos com cama de casal e espaço para armar rede, ar condicionado, geladeira e varanda.

Onde se alimentar:

Barraca Canaã: Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 90 pessoas.

Lanchonete Canaã: A lanchonete serve um cardápio variado de salgados, sucos naturais, bolos, café e tapioca.

Barraca Pantanal: Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 110 pessoas.

Lanchonete Pindú: A lanchonete serve diversos tipos de salgados, sucos naturais, bolos, café e tapioca.

Barraca do Sadrack: Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 90 pessoas.

Mercadinho Mizael: Mercadinho na comunidade onde é possível adquirir produtos diversos.

Barraca MACURA – Barraca de praia. Possui cardápio de frutos do mar. Capacidade para servir até 70 pessoas.