Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em resposta a pressão feita pelos caminhoneiros com ameaça de um dia de paralisação e eventual ameaça de greve, a Petrobras anunciou, nessa terça-feira (26), mudança na periodicidade dos reajustes do óleo diesel e a criação do ‘cartão caminhoneiro’.

Em 2019, houveram 14 reajustes no preço do diesel para as distribuidoras, segundo dados da Petrobras. O diesel, que era fornecido para a distribuidora pelo preço de R$ 1,854 no começo de 2019, agora está custando R$ 2,143.

O jornalista Beto Almeida afirma que isso trás uma grande instabilidade para os caminhoneiros.

“Ele fecha o frete aqui e um valor quando o diesel tá um preço. Sai do ceará com um valor X, chega no estado do Pará [por exemplo], vai pagar muito mais caro, ai retorna e o preço do diesel já é outro. Se não tiver uma carga de lá pra cá, é prejuízo na certa”, afirma o jornalista.

Então Beto destaca duas inciativas da Petrobras que podem apaziguar a situação com os caminhoneiros: a partir de agora, o preço do combustível não poderá ser reajustado em períodos inferiores a 15 dias. Até então, o valor do litro do diesel poderia variar até diariamente.

Além disso, a estatal anunciou ainda a criação do “Cartão Caminhoneiro”, que permitirá a compra do combustível a preço fixo nos postos com a bandeira BR. O cartão deve entrar no mercado em 90 dias.