Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A chamada bancada ruralista passará por reformulação na próxima legislatura. Fechada desde a semana passada com o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), a bancada não terá mais da metade de seus atuais integrantes a partir de fevereiro de 2019.

Dos atuais 245 integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária, 117 (47,7%) foram reeleitos. A bancada, uma das mais poderosas da Câmara e do Senado, ainda não sabe estimar quantos dos novos parlamentares vão participar de sua composição no próximo ano.

Entre aqueles que não voltarão ao Parlamento estão dois dos principais líderes do grupo no Senado, Ana Amélia (PP-RS), que desistiu da reeleição para concorrer como candidata a vice-presidente de Geraldo Alckmin (PSDB), e Ronaldo Caiado (DEM-GO), eleito governador.

“Perdemos nomes importantes, mas tivemos relativo sucesso pela grande renovação que terá a Casa e principalmente o Senado”, avalia a presidente da frente, deputada Tereza Cristina (DEM-MS). Para ela, o alto índice de renovação na Casa é resultado da “massificação” da mensagem de que o atual Congresso é “muito ruim”.

Entre os ruralistas que fracassaram nas urnas estão os deputados Osmar Serraglio (MDB-PR), Beto Mansur (MDB-SP), Mauro Pereira (MDB-RS), Nelson Marquezelli (PTB-SP) e Valdir Colatto (MDB-SC), além dos senadores Romero Jucá (MDB-RR), Valdir Raupp (MDB-RO), Waldemir Moka (MDB-MS) e Benedito de Lira (PP-AL). Todos perderam a reeleição.

Velhos conhecidos

Na Câmara, dos 218 integrantes da frente parlamentar, 100 se reelegeram. No Senado, dos 27 representantes da bancada, 18 seguirão no próximo ano. Entre os parlamentares eleitos domingo que farão parte do grupo estão o ex-ministro da Agricultura Neri Geller (PP-MT), o ex-secretário estadual da Agricultura e Pecuária José Mário Schreiner (DEM-GO) e o deputado estadual Pedro Lupion (DEM-PR), filho do ex-deputado Alberto Lupion (DEM-PR), ex-coordenador da frente.

“Muitos são desconhecidos, não eram agentes públicos e nunca estiveram na política, então agora a gente vai ter que saber quem é quem que está chegando nesta Casa”, ressalta Tereza Cristina. A parlamentar e outros 17 integrantes da frente entregaram uma pauta de reivindicações com dez itens a Jair Bolsonaro no Rio.

Hoje a FPA é formada majoritariamente pelo MDB, que representa 20% da frente, seguido por DEM e PP com 12% cada um, PR com 11%, PSD, com 8%, e PDT, com 6%. O PSDB e o Solidariedade também compõem a frente, contribuindo com 5% cada um. Também participam da frente parlamentar PSC, PSL, PPL, PTB, PRB, Pros, PHS, Podemos, PPS e PT.

Veja a relação dos integrantes da bancada ruralista que não se reelegeram:

Deputados:

– Adérmis Marini (PSDB-SP)

– Aelton Freitas (PR-MG)

– Alfredo Kaefer (PP-PR)

– André Amaral (Pros-PB)

– Aníbal Gomes (DEM-CE)

– Antonio Balhmann (PDT-CE)

– Antonio Carlos Mendes Thame (PV-SP)

– Antonio Imbassahy (PSDB-BA)

– Arnaldo Jordy (PPS-PA)

– Assis do Couto (PDT-PR)

– Augusto Carvalho (SD-DF)

– Benito Gama (PTB-BA)

– Benjamin Maranhão (MDB-PB)

– Beto Mansur (MDB-SP)

– Beto Rosado (PP-RN)

– Caio Narcio (PSDB-MG)

– Carlos Melles (DEM-MG)

– Celso Jacob (MDB-RJ)

– Celso Pansera (PT-RJ)

– César Messias (PSB-AC)

– Cristiane Brasil (PTB-RJ)

– Danilo Forte (PSDB-CE)

– Darcísio Perondi (MDB-RS)

– Dr. Jorge Silva (SD-ES)

– Edinho Bez (MDB-SC)

– Edmar Arruda (PSD-PR)

– Elizeu Dionizio (PSB-MS)

– Evandro Roman (PSD-PR)

– Ezequiel Fonseca (PP-MT)

– Ezequiel Teixeira (PODEMOS-RJ)

– Felipe Bornier (PROS-RJ)

– Francisco Chapadinha (PODEMOS-PA)

– Francisco Floriano (DEM-RJ)

– Geraldo Resende (PSDB-MS)

– Givaldo Carimbão (AVANTE-AL)

– João Fernando Coutinho (PROS-PE)

– João Rodrigues (PSD-SC)

– Jony Marcos (PRB-SE)

– José Carlos Aleluia (DEM-BA)

– José Carlos Araújo (PR-BA)

– Josi Nunes (Pros-TO)

– Jovair Arantes (PTB-GO)

– Jozi Araújo (Podemosmos-AP)

– Junji Abe (MDB-SP)

– Kaio Maniçoba (SD-PE)

– Lázaro Botelho (PP-TO)

– Leonardo Picciani (MDB-RJ)

– Leonardo Quintão (MDB-MG)

– Leopoldo Meyer (PSB-PR)

– Lucio Vieira Lima (MDB-BA)

– Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR)

– Luiz Cláudio (PR-RO)

– Marco Tebaldi (PSDB-SC)

– Marcus Pestana (PSDB-MG)

– Marcus Vicente (PP-ES)

– Marinha Raupp (MDB-RO)

– Mauro Pereira (MDB-RS)

– Milton Monti (PR-SP)

– Nelson Marquezelli (PTB-SP)

– Osmar Serraglio (PP-PR)

– Paes Landim (PTB-PI)

– Paulo Magalhães (PSD-BA)

– Professor Victório Galli (PSL-MT)

– Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE)

– Raquel Muniz (PSD-MG)

– Renato Andrade (PP-MG)

– Renato Molling (PP-RS)

– Roberto Balestra (PP-GO)

– Roberto Góes (PDT-AP)

– Roberto Sales (DEM-RJ)

– Rogério Marinho (PSDB-RN)

– Ronaldo Benedet (MDB-SC)

– Saraiva Felipe (MDB-MG)

– Sibá Machado (PT-AC)

– Silas Brasileiro (MDB-MG)

– Simone Morgado (MDB-PA)

– Takayama (PSC-PR)

– Valdir Colatto (MDB-SC)

– Valtenir Pereira (MDB-MT)

– Yeda Crusius (PSDB-RS)

Senadores:

– Benedito de Lira (PP-AL)

– Flexa Ribeiro (PSDB-PA)

– Garibaldi Alves Filho (MDB-RN)

– Magno Malta (PR-ES)

– Paulo Bauer (PSDB-SC)

– Pedro Chaves (PSC-MS)

– Romero Jucá (MDB-RR)

– Valdir Raupp (MDB-RO)

– Waldemir Moka (MDB-MS)

Com informações do Congresso em Foco

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp