Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro fez um discurso ao vivo na tarde desse domingo, 16, direto do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde está internado desde o dia 7 de setembro.

Deitado em uma cama na unidade de cuidados semi-intensivos, o presidenciável falou pausadamente e em tom baixo por mais de 15 minutos. Durante o vídeo, chorou, criticou o Supremo Tribunal Federal (STF) por derrubar a obrigatoriedade do voto impresso e afirmou que o candidato do PT, Fernando Haddad, libertará o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril, caso seja eleito.

“O Haddad eleito presidente, ele já falou isso, e se não falou, vocês sabem, assina no mesmo momento da posse o indulto de Lula. E no segundo seguinte, o nomeia chefe da Casa Civil”, afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na manhã desse domingo e foi encaminhado a uma unidade de cuidados semi-intensivos. De acordo com o boletim médico divulgado pelo Einstein na tarde de ontem, o quadro de saúde de Bolsonaro permanece estável e o candidato não apresenta febre e nem outros sinais de infecção.

Mais cedo, foi divulgado um vídeo em que Bolsonaro aparece caminhando pelo hospital, com a ajuda de um andador. Na live da tarde desse domingo, o presidenciável dedicou boa parte de seu discurso a críticas a Lula e ao PT. Ele afirmou que Lula não teria se deixado prender “bovinamente” pela Polícia Federal (PF) se não tivesse um “plano B” para deixar a cadeia.

O ex-presidente está preso na Superintendência da PF, em Curitiba, há cinco meses, cumprindo pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP). “Eu peço para que vocês se coloquem no lugar do presidiário, que está lá em Curitiba com toda a sua popularidade, com toda a sua possível riqueza, com todo seu tráfico junto a ditaduras no mundo todo que se auto apoiam, em especial em Cuba. Você aceitaria passivamente, bovinamente ir para a cadeia? Você não tentaria uma fuga?”, questionou. O candidato também afirmou que o que está “em jogo” no momento é o futuro de todos – “até de você que apoia o PT, você é um ser humano também”.

Possibilidade de fraude nas eleições

Bolsonaro ainda declarou que, sem a obrigatoriedade do voto impresso, há uma chance grande de fraude nas eleições de outubro. “A narrativa agora [após a divulgação do Datafolha] é que perderei no segundo turno para qualquer um. A grande preocupação não é perder no voto, é perder na fraude. Então, essa possibilidade de fraude no segundo turno, talvez no primeiro, é concreta”, disse o candidato.

Segundo ele, “o PT descobriu o caminho para o poder: o voto eletrônico”. Bolsonaro sugeriu a existência de programas que podem fraudar as urnas eletrônicas e que podem inserir “uma média de 40 votos para o PT” em sessões de votação em todo o Brasil. Bolsonaro lidera as principais pesquisas de intenções de voto para o pleito presidencial. No último Datafolha, divulgado na sexta-feira, 14, ele aparece com 26%.

O candidato afirmou esperar estar em casa dentro de uma semana e prometeu fazer uma live todas as noites, durante o programa eleitoral gratuito. Ao se despedir de quem acompanhava a transmissão, Bolsonaro pediu desculpas por ter se emocionado em seu discurso. Ao falar em sua família, ele chorou mais uma vez.

Ataque a faca e nova cirurgia

Bolsonaro sofreu um ataque a faca durante uma atividade de campanha na cidade de Juiz de Fora (MG) no dia 6 de setembro. Uma veia abdominal e os dois intestinos foram atingidos. Ele passou por uma cirurgia na Santa Casa da cidade e foi transferido para São Paulo na manhã do dia 7.

Ao longo da semana passada, o presidenciável demonstrou sinais de evolução e já tinha chegado a sair da UTI para uma unidade de cuidados semi-intensivos. Na noite de quarta-feira, 12, no entanto, precisou passar por uma cirurgia de emergência devido a uma obstrução no intestino.

Com informações do Portal Uol Notícias