Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Uma organização criminosa interestadual de estelionatários foi desarticulada pela Polícia Civil. A informação é do delegado Harley Filho, da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), que informou a prisão de três suspeitos de cometer crimes de estelionato nos estados do Maranhão, Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte. Na quarta-feira, 26, na cidade de Horizonte, os suspeitos foram apreendidos com 27 cartões.

Conforme delegado Harley Filho, foram presos Italo Ferreira da Silva, de 35 anos, que responde na Justiça por roubo e homicídio, responsável por apanhar o cheque com a vítima, Sinélia dos Santos Prata, de 47 anos, que responde na Justiça por estelionato em Aracati e por roubo a pessoa em 2014 em Juazeiro do Norte e na cidade de Santa Luzia, no Maranhão. O terceiro autuado é o João dos Santos Prata, de 40 anos, primo da Sinélia. Ele possui antecedentes no Maranhão e no Amapá, por estelionato.

De acordo com o delegado, Sinélia confirmou a existência do grupo que atuava há cinco meses. No entanto, alguns dos suspeitos têm cinco, sete e até 10 anos aplicando golpes.

Segundo o delegado, todo fim de mês, até o dia 10, o grupo se reunia e um dos membros permanecia no interior das agências bancárias tentando observar quem sacava dinheiro para praticar a modalidade de “golpe do baludo”. Um olheiro dentro do banco vê quando a vítima saca uma importância e aciona um segundo estelionatário que finge perder uma quantia em dinheiro no chão da agência.

A vítima, achando que está fazendo uma boa ação, avisa ao estelionatário do dinheiro. É então que um terceiro estelionatário começa a incitar o comparsa para comprar algo para a vítima, que é levada a uma loja ou para fora do banco. Em determinado momento, já íntimos da vítima, o grupo faz com que a pessoa deixe a bolsa com um dos criminosos e em seguida eles fogem com todo o pagamento da vítima, além de cartões de crédito.

Uma das vítimas que a Polícia conseguiu identificar teve a bolsa furtada e levaram R$ 1.500, além do cartão de crédito. Em outras ocasiões o delegado diz que o grupo fica na agência identificando as senhas e consegue trocar os cartões. “Eles fizeram compras no shopping gastando 31 mil reais, esse foi o prejuízo de uma das vítimas aqui no Ceará”.

Por meio dos 27 cartões, as vítimas vão sendo identificadas. “Mês passado atuaram em Juazeiro do Norte, Tianguá e em Sobral. Tentaram Horizonte e Pacajus e no mês de junho em Teresina e em Piripiri. Em Fortaleza, o grupo disse que não atuava pois os clientes são mais cuidadosos”, afirmou Harley.  O delegado destacou que seis pessoas fazem parte do grupo, mas três delas foram presas e autuadas em flagrante por organização criminosa e estelionato. 

O perfil das vítimas da organização criminosa é basicamente de pessoas idosas e aposentados, a maioria que recebia pagamentos em agências bancárias no interior do Ceará. O delegado orienta atenção redobrada para quem frequenta agências bancárias, como o cuidado em não deixar que outras pessoas visualizem a senha e evitar pedir ajuda a pessoas que não sejam credenciadas pelo banco.

Com informações O POVO