Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Advogada Priscila Brito fala, em seu comentário no Jornal Alerta Geral (Expresso Fm 104.3 na Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior + Redes Sociais), edição desta quinta-feira (3), sobre a decisão do STF que mantém o julgamento de crimes comuns, quando cometidos simultâneos aos crimes eleitorais, na Justiça comum.

Priscila considera que o ritmo de julgamento desses processos será mais lento e menos célere. A justificativa utilizada, segundo ela, é de que a justiça eleitoral não teria aparato suficiente para investigar crimes complexos.

“Como advogada eleitoralista eu preciso discordar dessa visão […] porque a justiça eleitoral sempre foi responsável pela análise desses crimes, então matéria criminal não é algo estranho ao juiz eleitoral”, afirma a advogada.

Confira na íntegra a análise da advogada Priscila Brito:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp