Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abacrim), no Ceará, em nota assinada pelos advogados Cândido Albuquerque, Bruno Queiroz e Waldir Xavier, criticou o que chamou de fragilidade nas medidas para conter o avanço da criminalidade.

“A fragilidade das autoridades responsáveis pelo Sistema de Segurança Pública do Estado do Ceará é patente, especialmente em razão da grave ausência de efetivação de um plano de segurança pública para a população cearense que vive um cenário de absoluta insegurança e refém das facções criminosas que dominam a terra de José de Alencar”, expôs a nota da Abacrim.

A Aabacrim disse, ainda, que “ao tempo em que afirma esperar uma ação enérgica do Ministério Público do Estado do Ceará, informa que adotará todas as medidas cabíveis para o acompanhamento das investigações, bem como medidas para exigir a adoção de uma postura efetiva dos agentes públicos, objetivando combater o alarmante avanço da criminalidade no Estado do Ceará”.

Íntegra da nota da Abacrim

“A Abracrim/CE manifesta a sua absoluta indignação diante da chacina ocorrida no Bairro Cajazeiras, em Fortaleza, na madrugada do dia 27.01.2018, a qual produziu 26 mortes (os números oficiais ainda não foram divulgados).

A fragilidade das autoridades responsáveis pelo Sistema de Segurança Pública do Estado do Ceará é patente, especialmente em razão da grave ausência de efetivação de um plano de segurança pública para a população cearense que vive um cenário de absoluta insegurança e refém das facções criminosas que dominam a terra de José de Alencar.

A banalização da violência e a ausência de ações concretas de combate à criminalidade restam evidentes diante da infeliz declaração do esforçado Secretário de Segurança Pública do Estado do Ceará, no sentido de que a chacina no Bairro Cajazeiras foi “ação planejada e organizada” e que, apesar da chacina ser a maior da história do Ceará, e do estado de terror implantado no Estado pelas facções, “não há perda de controle”.

A Abracrim/CE, ao tempo em que afirma esperar uma ação enérgica do Ministério Público do Estado do Ceará, informa que adotará todas as medidas cabíveis para o acompanhamento das investigações, bem como medidas para exigir a adoção de uma postura efetiva dos agentes públicos, objetivando combater o alarmante avanço da criminalidade no Estado do Ceará.

Cândido Alburqueque

Bruno Queiroz

Waldir Xavier”