Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
A Comissão Especial de Desenvolvimento Regional das Regiões de Planejamento do Estado do Ceará da Assembleia Legislativa (AL) apresentou, nesta quinta-feira (19), o documento ‘Regiões de Planejamento do Ceará – Um diagnóstico preliminar’. “Trata-se de uma síntese de aspectos relevantes que servirão como base para o desenvolvimento das 14 regiões do Estado”, explicou o presidente do colegiado, deputado Salmito (PDT).

O pedetista acrescentou que o documento revela uma dissonância e desigualdade regional no nosso Estado e esta é a razão da Comissão existir, “para chamar atenção para essa problemática de desigualdades, buscando ações viáveis para tentar solucionar esse desequilíbrio”, acrescentou o parlamentar.

Segundo Salmito, o estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), sobre 15 municípios com maiores PIB do Estado, revelou que oito estão na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), respondendo por 60,65% do PIB estadual. Um refere-se à Região Metropolitana de Sobral (RMS), que representa 2,98%, enquanto dois municípios estão na Região Metropolitana do Cariri (RMC), contando com 4,12%. Outros quatro municípios estão no interior do Estado, com 3,62% de participação.

O documento apresenta também que, se tratando dos empregos formais gerados no Estado, Fortaleza concentrou a sua maior parte, com 70,34% em 2010 e 69,81, em 2015. Já as regiões do Cariri e de Sobral ficaram com segunda e terceira posições, respectivamente. “Esses dados mostram claramente um diagnóstico da disparidade de desigualdades sociais”, destacou Salmito.

Em relação a questão dos resíduos sólidos, o relatório aponta que no Ceará ainda predominam os lixões, mesmo havendo aterros sanitários nos municípios de Caucaia, Aquiraz, Brejo Santo, Mauriti, três na Grande Fortaleza e dois no Cariri. O deputado Romeu Aldigueri (PDT) acrescentou que no Sertão Central há uma experiência que merece destaque.

“Uma empresa particular está construindo, com recursos próprios, um aterro particular que atenderá a população daquela região”, detalhou o parlamentar.

Com esse exemplo citado pelo deputado Romeu, o deputado Nezinho Farias (PDT) sugeriu que o colegiado visitasse o local como forma de aprendizado.

“Acredito que este é um caso de sucesso em que a iniciativa privada pode trabalhar em parceria com a pública, para beneficiar unicamente a população do Estado”, acrescenta.

Ao final da reunião, a Comissão informou que solicitará ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) a comparecer em audiência pública na Casa, a se realizar no dia 3 de Outubro, para dar uma atenção especial a este segmento. O colegiado definiu também que dia 24 de outubro levará seus integrantes ao Observatório de Fortaleza para visitar e conhecer o trabalho realizado no local.

Na ocasião, a Comissão Especial de Desenvolvimento Regional das Regiões de Planejamento do Estado escolheu o deputado Sérgio Aguiar (PDT) como seu relator, que agradeceu a confiança e apoio. Participaram da reunião também os deputados Guilherme Landim (PDT) e Audic Mota (PSB).

 

 

 

 

 

 

 

(*)com informação da AL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp