Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O preso Antônio Jussivan Alves, o “Alemão”, foi transferido de um presídio no Ceará para a Penitenciária Federal de Catanduvas, no estado do Paraná. Alemão é o mentor do furto ao Banco Central, ocorrido em Fortaleza no ano de 2005. A transferência do detento ocorreu na sexta-feira (23), mas a informação foi confirmada pela Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) na manhã desta quinta-feira (28).

Além de Antônio Jussivan, também foi transferido do Ceará o preso Antônio Carlito Avelino, conhecido como “Boi”. O homem foi levado do sistema carcerário cearense para a Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

As transferências ocorreram por meio de um requerimento feito pelo Ministério Público, depois que uma quadrilha tentou resgatar os dois presos da Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, em Pacatuba. Após o pedido do MPCE, a Sejus solicitou ao Judiciário local a transferência dos internos para unidades prisionais federais.

Tentativa de resgate
Uma quadrilha armada tentou resgatar Antônio Jussivan, Antônio Carlito e um outro detento, identificado como Paulo Laércio, da unidade prisional de Pacatuba no último dia 8 de agosto. Agentes penitenciários identificaram pelo sistema de monitoramento o momento em que os presos chegaram à muralha do presídio. Os internos cortaram as grades de ventilação da cela, serraram os ferros que separam as vivências da muralha e já jogavam uma para escalar a muralha. Do lado de fora, pessoas dariam suporte à fuga com uma escada e carros.

Conforme a Sejus, os policiais que faziam a segurança da muralha perceberam a tentativa de fuga e deram um disparo de advertência. Criminosos que davam apoio externo à fuga começaram a disparar contra a muralha. Houve troca de tiros. Um policial foi atingido de raspão.

Jussivan e Carlito foram baleados e foram encaminhados ao Instituto Dr. José Frota, no Centro. O Alemão passou por um procedimento cirúrgico e depois retornou para o presídio, assim como o Boi. Eles permaneceram no presídio de Pacatuba até serem transferidos.

Um homem suspeito de participar da tentativa de resgate foi preso.

Furto ao Banco Central

Antônio Jussivan Alves é um dos mentores do furto ao Banco Central, ocorrido em 2005, considerado o maior furto a banco do Brasil. Segundo a Polícia Federal, foram levados do cofre R$ 164,7 milhões (mais de três toneladas em notas de R$ 50) durante o furto.

Alemão foi sentenciado a mais de 100 anos de prisão por diversos crimes, entre eles lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Em 2008, ele foi sentenciado a 49 anos e dois meses na primeira instância, e teve pena reformada pelo TRF-5 para 35 anos e 10 meses de prisão.

Já Antônio Carlito, de 50 anos, responde a homicídio e roubo e está preso desde 2010.

Com informações G1