Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A produção de mel no Ceará caiu após anos de estiagem. Sendo um dos principais produtores e exportadores de mel do país, o estado registrou, em 2009, sua maior produção, referente a 4,7 mil toneladas, o equivalente a 12% do volume total produzido no País. E em 2017, último dado disponibilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção estadual foi de 1,7 mil tonelada, apenas 4% do volume nacional.

Em relação às exportações de mel, o número teve um queda de 65%, de 2009 até 2018. Mas, com a quadra chuvosa favorável deste ano, o setor espera recuperar o espaço perdido apostando, principalmente, no mercado interno. Neste ano o Estado deverá vender apenas 50% da produção para o mercado externo, o que é diferente do que ocorria em anos anteriores, quando o Ceará exportava cerca de 90% da produção.

O Ceará foi o principal exportador de mel do Nordeste entre os anos de 2004 e 2014, ficando entre os três maiores do Brasil até 2012. Atualmente, o Estado figura na segunda colocação do Nordeste e na quinta do País. De janeiro a setembro deste ano, o Ceará exportou 1,71 mil tonelada de mel, volume 36,5% superior ao registrado em igual período de 2018. Mas, apesar desse avanço, a queda da demanda impactou negativamente o preço do mel no mercado internacional, e o valor exportado (US$ 3,9 milhões) caiu cerca de 6,1%.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp