Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, desistiu de disputar prévia com o governador paulista Geraldo Alckmin pelo posto de candidato à Presidência pelo PSDB. De acordo com ele, a prévia que estava sendo organizada pelo partido, que tem Alckmin como líder nacional desde dezembro, seria uma “fraude”. Virgílio Neto ainda classificou o paulista como um “cínico”. “Me recuso a participar de uma fraude, de um simulacro de eleição”, disse. Procurado, o governador Geraldo Alckmin não quis se pronunciar sobre as críticas feitas por Virgílio.

A decisão foi tomada na sexta-feira, após a executiva nacional definir as regras da prévia. “Fizeram uma molecagem”, disse, ao se referir à decisão do partido de realizar apenas um debate entre os dois. Virgílio Neto defendia ao menos três embates e um deles em São Paulo, governado há mais de sete anos consecutivos por Alckmin.

Com a prévia nacional descartada, Alckmin deve trabalhar agora para um entendimento entre os pré-candidatos tucanos ao governo paulista a fim de evitar também aqui um pleito interno para a escolha de seu sucessor. A executiva paulista da legenda havia determinado, na última segunda, que a disputa ocorresse no mesmo dia da prévia nacional, marcada anteriormente para 18 de março. Quanto as declarações de Virgílio, Alckmin disse que o prefeito de Manaus foi injusto com ele e com o Partido.