Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), assinou, na manhã desta quarta-feira (28), acordo de cooperação com a Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Estadual do Ceará (Uece) e Universidade de Fortaleza (Unifor) para a realização do 1º Seminário Internacional de Segurança Pública do Estado do Ceará, que acontecerá nos dias 4, 5 e 6 de junho. O evento tem por objetivo ampliar, qualificar e dar visibilidade à discussão sobre alternativas para o enfrentamento do problema da violência no Brasil e no Ceará.

Segundo Zezinho Albuquerque, a Assembleia Legislativa já tomou iniciativas que buscam contribuir para conter o avanço do problema da violência no Estado. Ele citou como exemplo o programa Ceará sem Drogas e o Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência. “O seminário internacional vem para complementar os estudos já realizados nessa área e vai reunir todos que têm trabalhos relevantes, para que novos caminhos, em termos de segurança pública, possam se abrir para nós”, disse.

O reitor da UFC, Henry Campos, enfatizou que as universidades têm muito a colaborar. De acordo com ele, as instituições de ensino possuem laboratórios e podem, decisivamente, contribuir com ideias e sugestões. “O poder de influência da universidade na comunidade é muito grande, tanto que somos os primeiros a ser chamados quando iniciativas como o Ceará Pacífico, do qual também estamos participando, saem do papel”, considerou.

Para Henry Campos, um seminário como esse é da maior importância, pois haverá o compartilhamento de experiências exitosas com outros países. “Só teremos a ganhar com isso”, afirmou.

O reitor da Uece, Jackson Sampaio, elogiou a iniciativa de articular Poder Público e universidades no combate à violência. “A complexidade do momento atual requer cada vez mais conhecimento para definir soluções para problemas cada vez mais complexos”, pontuou.

Jackson Sampaio afirmou que a violência, em suas diferentes formas (doméstica, de gênero, religiosa etc.), tem uma decodificação que a produção de conhecimento pode ajudar a decifrar.

Já a reitora da Unifor, Fátima Veras, assinalou que a universidade dispõe de profissionais que já desenvolvem pesquisas na área da segurança pública. “Temos uma linha de estudo sobre o assunto no curso de Direito, então podemos oferecer muito nesse sentido, alinhando teoria e prática e vendo a melhor forma de contribuir”, argumentou.

A organização do evento está a cargo do Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos, órgão que oferece embasamento técnico-científico ao planejamento das políticas públicas do Legislativo cearense.

Com informações do Assembleia Legislativa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp