Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os turistas que visitam a cidade de Sobral, localizada a 231 km de Fortaleza, tem uma nova atração para visitantes e moradores: os sítios arqueológicos Bilheira I e II, que abrigam pinturas rupestres, ganharam estrutura de visitação no fim de novembro. Os espaços receberam investimentos de R$ 70 mil do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e passaram a contar com passarelas, abrigos e placas informativas.

A região possui um expressivo conjunto de formações rochosas graníticas, representado por paredões não abrigados, grutas e cavernas. Bilheira I e II integram aquele que é avaliado hoje, pelo Iphan, como o maior conjunto de arte rupestre já registrado no Ceará, representado por 32 sítios, distribuídos em três complexos: o Bilheira (12 sítios), o Pedra do Sino (7 sítios) e o Olinda (6 sítios).

O sítio arqueológico abriga um dos principais cartões-postais da região, a Pedra das Andorinhas, que também possui arte rupestre em seu perímetro. A visitação a este conjunto, porém, deve acontecer somente no segundo semestre de 2020.

Com o novo equipamento de visitação, os sítios serão integrados ao circuito das trilhas do Refúgio da Vida Silvestre (Revis) da Pedra da Andorinha, localizado a oito quilômetros do Complexo Bilheira. A trilha de 1,5 km existente no local tem acesso gratuito, mas deve ser feita apenas com o acompanhamento de um guia especializado. O percurso até a fazenda mais próxima da região, situada mais precisamente no distrito de Taperuaba (a 52 km do Centro de Sobral), deve ser feito em carro próprio.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp