Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro aumentou a vantagem para o segundo colocado Fernando Haddad (PT) na disputa pela Presidência da República, de acordo com a pesquisa Ibope divulgada na noite dessa segunda-feira, 1º. Haddad ainda viu sua rejeição subir 11 pontos, saindo de 27% no levantamento anterior para 38% na pesquisa divulgada ontem. O assunto foi destaque no Bate Papo Político desta terça-feira, 2, do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior).

De acordo com a pesquisa Ibope, Bolsonaro tem 31% das intenções de voto. O ex-capitão do Exército aumentou de 6% para 10% a vantagem para o petista Fernando Haddad, que permaneceu com 21% no levantamento divulgado nessa segunda. Na sequência, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 11%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 8%, Marina Silva (Rede), com 4%, João Amoêdo (Novo), com 3%, Alvaro Dias (Podemos), com 2%, Henrique Meirelles (MDB), com 2%, e Cabo Daciolo (Patriota), com 1%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e Nulos somam 12%. Não sabem/Não responderam somam 5%.

O jornalista Beto destacou que a subida nas intenções de voto de Bolsonaro aconteceu em meio a um fim de semana de manifestações contra e a favor do candidato do PSL – o Ibope foi as ruas nos dias 29 e 30 de setembro, datas em que ocorreram movimentações pró e contra Bolsonaro.

Para o jornalista, o crescimento de Bolsonaro desafia a lógica e o prestígio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) perante o eleitorado. Beto ressalta que, enquanto todos os seus adversários mudaram de tática durante a campanha, Bolsonaro, mesmo após ser esfaqueado durante um ato político em Juiz de Fora (MG), em 6 de setembro, permaneceu com os mesmos discursos e ideias de campanha.

O jornalista Luzenor de Oliveira discordou da opinião de Beto sobre a perda de prestígio de Lula entre uma parte do eleitorado brasileiro. Luzenor destaca que Haddad, após ser oficializado no lugar de Lula, viu suas intenções de voto crescerem de 4% para 21% em pouco menos de um mês – Haddad foi oficializado como candidato no dia 11 de setembro após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negar o pedido de registro de candidatura de Lula.

O jornalista ainda pontua que os números divulgados nessa segunda pelo Ibope refletem a realidade do momento, que pode ser bem diferente no próximo domingo, data do primeiro turno da eleição. Para Luzenor, novos fatos políticos podem surgir até lá, o que pode mudar o resultado final do pleito.

Rejeição de Haddad dispara

O jornalista Luzenor de Oliveira destacou outro aspecto da pesquisa Ibope divulgada ontem: os índices de rejeição. Enquanto Bolsonaro permaneceu com 44% de rejeição entre um levantamento e outro, Haddad viu sua rejeição disparar, saindo de 27% para 38%, aumento de 11 pontos percentuais.

Para Luzenor, isso está diretamente ligado a transferência de votos do ex-presidente Lula e o próprio crescimento de Haddad na corrida presidencial. Para o jornalista, o potencial máximo de transferência de votos de Lula para Haddad ainda não foi atingido, assim como também o teto de rejeição a que Haddad pode chegar. Luzenor lembra que Lula, na época em que se colocava como candidato, tinha quase 50% de rejeição.

O outro aspecto que fez a rejeição a Haddad aumentar, para Luzenor, são os ataques de seus principais adversários por uma vaga no segundo turno – Ciro, Alckmin e Marina. Mesmo com essas justificativas, para Beto, a rejeição é preocupante para a campanha de Haddad, já que Lula, à época que estava com o índice de rejeição alto, ainda não era oficialmente o candidato do PT perante a Justiça, situação bem diferente da de Haddad.

Bolsonaro cresce entre os mais pobres

O jornalista Beto Almeida ainda disse que Bolsonaro registrou crescimento entre o eleitorado mais pobre, que ganha até um salário mínimo. De um levantamento para outro, o ex-capitão do Exército subiu seis pontos percentuais, saindo de 13% para 19%. Beto lembra que esse eleitorado, principalmente na região Nordeste, é onde o PT espera conquistar um maior percentual de votos nas eleições deste ano.

Segundo turno

Luzenor de Oliveira reforça ainda que Bolsonaro tem cenários mais favoráveis no segundo turno em relação a pesquisas anteriores – o presidenciável do PSL vence Marina Silva (Rede) com folga e está numericamente empatado com Fernando Haddad (PT). Geraldo Alckmin (PSDB) está numericamente a sua frente, mas os dois estão empatados dentro da margem de erro. Ciro Gomes (PDT), segundo a pesquisa Ibope dessa segunda, é o único que vence Bolsonaro no segundo turno fora da margem de erro.

Saiba mais:
+ Bolsonaro consolida liderança e melhora desempenho em eventual segundo turno

Confira no player abaixo o Bate Papo Político na íntegra! Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida ainda conversaram sobre a possibilidade de uma terceira via nas eleições deste ano. Além disso, os dois abordaram o incêndio em um ônibus escolar no município de Granja. A falta de manutenção do veículo pode ter causado o incidente!

BATE PAPO 02.10.2018