Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Professores na expectativa! Finda-se o mês de janeiro e a chegada de fevereiro traz consigo o anseio dos professores da rede pública dos 184 municípios cearenses para a efetivação do reajuste do piso salarial. O assunto foi destaque dentro do Bate-Papo político nesta sexta-feira (31) na conversa entre os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida.

Segundo estimativas da Associação dos Prefeitos do Estado do Ceará (APRECE), o reajuste de 12,84% no piso salarial do magistério deve gerar um impacto de R$ 400 milhões de reais nos cofres do municípios.

Até o momento, conforme a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), 62 municípios já oficializaram o reajuste, sendo que 14 elevaram a quantia acima desta porcentagem.

Com o reajuste de 12,68%, calculado pelo MEC de acordo com a lei 11.378/2008, o salário dos professores da rede fundamental pública de ensino passou para 2 mil 886 reais e 24 centavos.

Tauá

Dentro do Bate-Papo político, o correspondente Alverne Lacerda, diretamente da FM 106.1 em Tauá, deu mais detalhes sobre o reajuste implementado para os professores no município da região dos Inhamuns. Comparando o reajuste com as chuvas que banhavam o município no momento de sua participação, Alverne afirmou: “Choveu na horta dos professores” .

A decisão, confirmada pelo prefeito da cidade, Fred Rego, em reunião, disciplinou o reajuste de 12,84% no salário dos professores. Com o aumento, Alverne detalha que a menor remuneração passa a ser de 3 mil 223 reais, ficando a a maior em pouco mais de 4 mil reais.

Confira na íntegra a participação de Alverne Lacerda:

Bate-Papo

“A notícia é boa, sem dúvida” – foi o que disse o jornalista Beto Almeida ao comentar a informação trazida pelo correspondente Alverne Lacerda sobre o reajuste em Tauá. Beto destaca ainda outros municípios que tiveram aumento do piso salarial acima do definido pela lei nacional como Mombaça, Cascavel, Ibaretama, Irapuan Pinheiro, Jaguaribe e outros.

De acordo com Beto Almeida, o reajuste acima do que foi definido pela lei federal em alguns municípios entra em contradição com o aconselhamento das entidades e lideranças municipalistas, que alertam para o risco de cair no crime de responsabilidade fiscal. Contudo, Beto afirma que a decisão dos prefeitos não indica irresponsabilidade:

Quando um prefeito anuncia um reajuste, eu acredito que ele está sendo responsável ao assumir esse investimento na educação

Ainda no tema, o jornalista Luzenor de Oliveira comenta um estudo de especialistas e técnicos da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) que indica o provável descumprimento da lei de responsabilidade fiscal ou lei do piso salarial neste ano de 2020 por parte dos prefeitos devido ao ano eleitoral. Por fim, Luzenor comenta:

O bom é que nós tenhamos o cumprimento da legislação e que os professores tenham os salários garantidos e acima de tudo boas, excelentes condições de trabalhar, afinal, são estes professores que estão em sala de aula com muitos dificuldades, principalmente no poder público, tanto no âmbito estadual quanto municipal que zelam pela educação de crianças e adolescentes

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp