Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, tem reflexo em todos os estados brasileiros. Até o momento desta publicação, o grupo de operações que trabalha no resgate das vítimas registra a confirmação de 65 mortes, 31 já identificados; 279 desaparecidos, 192 resgatados, 386 localizados e 135 desabrigados.

“É impossível não ficar estarrecido”, afirma o médico ortopedista e professor universitário, Dr. Henrique César, porque, segundo ele, apesar de essa ser a crônica de um desastre anunciado desde 2015, com o acontecido na cidade de Mariana, em Minas Gerais, onde 19 pessoas morreram e um dano ambiental de proporções incomensuráveis foi visto, afetando de maneira definitiva a saúde das pessoas, com despejos de dejetos de mineração em rios, fontes de água potável, de comida e áreas antes habitáveis que promoveu uma serie de patologias na comunidades, absolutamente nada foi feito.

Para o médico comentarista do Jornal Alerta Geral, Brumadinho é um retrato de como levamos de forma não-séria as políticas que promovem a segurança social e a saúde da nossa população, principalmente nossos representantes eleitos.

O Dr. Henrique Cesar faz uma contextualização da tragédia de Brumadinho com a crise na saúde, que se retrata no descaso do poder público e dos agentes públicos de sempre procrastinarem decisões urgentes e necessárias para preservar vidas para preservar o meio ambiente.

Confira na íntegra a análise do Dr. Henrique César:

Sobre essa reflexão, o jornalista Beto Almeida salienta que pode até não parecer uma tragédia ou não ter o impacto que um caso como esse de Brumadinho (MG) representa, mas o dia a dia de milhões de brasileiros, como citados pelo Dr . Henrique Cesar, que sofrem com a falta de saneamento básico e os problemas que isso acarreta também é estarrecedor.

Para Beto, quando se trata da falta de saneamento, há um número expressivo de pessoas que vivem em áreas em condições desumanas, convivendo com a lama e desejos, que, segundo ele, vai matando a cada dia, aos poucos, minando a saúde, tirando a disposição de trabalhadores, de crianças, de idosos e que acabam superlotando a rede publica de saúde.

O assunto ganhou destaque no Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior) desta terça-feira (29), com as análises dos jornalistas Beto Almeida e Luzenor de Oliveira. Confira:

O que mais rolou:

+ Reflexo da tragédia de Brumadinho pode atingir a região nordeste. Lama chegará ao rio São Francisco em 15 de fevereiro.

+ Mudança de rumo político em Cascavel: TRE mantém cassação do diploma da prefeita e do vice do município

+ Após a tragédia de Brumadinho (MG), Governo federal determinou inspeção em barragens em todo o Brasil

+ Repercute mal a MP que trata da operação pente fino de aposentados e pensionistas

+ Imposto de Renda: declarar mesmo sem ser obrigado pode gerar uma renda extra

+ DNOCS ignora apelo para Município assumir obras na Barragem Lima Campos

Você pode ouvir essa e outras notícias no Bate Papo Político, do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), na íntegra: