Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) dessa quarta-feira, 26, de cancelar os títulos dos eleitores que não fizeram o cadastro biométrico vai impossibilitar 234.485 cearenses de votarem nas eleições deste ano. O assunto foi destaque do Bate Papo Político desta quinta-feira, 27, do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior).

No Ceará, a biometria era obrigatória em 129 dos 184 municípios, somando 4,7 milhões eleitores. Além de estarem impedidos de votar, os eleitores que tiveram o título cancelado não poderão tomar posse em cargo público, emitir ou renovar passaporte, contrair empréstimos em bancos oficiais, participar de programas assistenciais do governo, matricular-se em instituição pública de ensino. Após a eleição, a Justiça Eleitoral abrirá um novo prazo de cadastramento biométrico, a fim de regularizar a situação dos títulos cancelados.

No Ceará, Caucaia (28.628) é o município com mais títulos cancelados. Na sequência, aparecem Juazeiro do Norte (21.666), Maracanaú (19.330); Sobral (13.431); Crato (11.951); Iguatu (11.249); Itapipoca (10.812); Icó (8.494); Maranguape (8.115); Morada Nova (7.018) e Pacatuba (7.018).

O jornalista Beto Almeida destacou que a decisão do Supremo afeta 3,3 milhões de brasileiros, sendo que a maioria está no Nordeste. Beto, analisando os números, fez uma análise sobre o pedido do PSB para evitar que esses eleitores pudessem votar nas eleições deste ano. Para o jornalista, caso o STF concordasse com o pedido, o maior interessado seria o PT, que tem sua maior base eleitoral no Nordeste.

O jornalista Luzenor de Oliveira pontua que a decisão do Supremo pode prejudicar alguns candidatos à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa que contavam com o voto desse eleitorado, mas reforça que a decisão do STF de manter os títulos cancelados não vai comprometer a legitimidade das eleições.

Voto útil não decola

Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida também destacaram a pesquisa Datafolha para Presidência da República divulgada nessa quarta-feira, 26. O levantamento mostra que Jair Bolsonaro (PSL) continua na liderança, com 28% das intenções de voto, seguido por Fernando Haddad (PT), com 16%. Ciro Gomes (PDT), com 13%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 9%, e Marina Silva (Rede), com 7%, aparecerem na sequência.

O jornalista Luzenor de Oliveira lembrou que a pesquisa mantém as projeções das últimas pesquisas de intenção de voto: uma polarização entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. Para ele, Ciro e Alckmin, no entanto, ainda têm esperanças de chegar ao segundo turno. Os dois pregam o chamado voto útil, quando o eleitor deixa de votar em seu candidato de preferência, por acreditar que ele não tem chances de vencer a eleição, para votar em um candidato que acredita que possa vencer o pleito.

Para o jornalista Beto Almeida, essa “terceira via” ainda pode acontecer, já que o quadro eleitoral ainda segue indefinido. Beto diz, no entanto, que apenas 3 em cada 10 brasileiros admitem que podem utilizar a tática do voto útil nas eleições deste ano, segundo dados do Datafolha.

O levantamento mostrou que 28% das pessoas ouvidas afirmam que têm probabilidade “alta” ou “muito alta” de alterarem seu voto a fim de evitar a vitória de um presidenciável indesejável. Outros 18% classificaram como “média” essa probabilidade. Já 48% citaram como “baixa”. Além deles, 6% não sabem ou não responderam a pergunta.

Confira no player abaixo o Bate Papo Político na íntegra! Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida ainda conversaram sobre a nova opção de crédito da Caixa Econômico Federal, que permitem que os trabalhadores façam empréstimos consignados com o uso do FGTS como garantia, a partir desta quinta-feira!

BATE PAPO 27.09.2018