Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Segundo levantamentos preliminares do Ministério Público Estadual, o deputado estadual Delegado Cavalcante está sendo investigado por possível uso de servidores do seu gabinete na Assembleia Legislativa para formação do partido Aliança pelo Brasil. No Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (16), o jornalista Luzenor de Oliveira destaca que as “explicações precisam ser dadas pelo deputado”.

“Deu ruim”, afirma Beto Almeida ao enfatizar que o deputado eleito em 2018 pelo PSL terá que apresentar justificativas convincentes para ao Ministério Público do Ceará para esclarecer a situação. O jornalista pondera que de acordo com o deputado, não houve irregularidade e assim nega a acusação.

A denúncia envolve quatro assessores parlamentares lotados no gabinete do deputado Delegado Cavalcante e o próprio parlamentar. De acordo com o documento encaminhado ao Ministério Público, o grupo de assessores teria atuado em campanhas e viajado por diversos estados, durante o horário de expediente na assembleia, para a coleta de assinaturas para que o partido pudesse obter o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e concorrer às eleições.

+ Saia justa: Delegado Cavalcante é cobrado a explicar ao MP suposto uso de assessores na formação do Aliança pelo Brasil

“Se essa denúncia de fato for comprovada, configura o uso do patrimônio público, como bem destacou o Ministério Público. Eu digo ‘uso do patrimônio público' para outro fiz que não o interesse público. Teria sido um caso de improbidade administrativa que pode pesar contra os funcionários do gabinete do deputado […] e logicamente contra o próprio delegado Cavalcante”, salienta Beto Almeida.

Confira na íntegra o Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp