Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

“O pedido de desculpas de Andre Fernandes ao deputado Nezinho Farias não o livrou do processo por quebra de decoro parlamentar”, afirmou o jornalista Luzenor de Oliveira ao comentar, nesta quinta-feira (06), a situação em que se encontra o parlamentar Andre Fernandes que terá o seu processo de suspensão temporária do mandato lido nessa quinta em sessão ordinária na Assembleia Legislativa.

O projeto de resolução que declara a suspensão temporária decorre da acusação feita por Andre Fernandes contra o colega deputado Nezinho Farias (PDT), de que este teria envolvimento com facções criminosas, acusação que se mostrou infundada. . As representações contra André Fernandes junto ao Conselho de Ética foram movidas, em junho de 2019, pelo PDT e PSDB.  

Em sua fala, o jornalista Beto Almeida pontua que o relatório do Conselho de Ética da Assembleia está pronto desde o mês de maio, mas que não foi ao plenário devido a pandemia de coronavírus, onde o presidente da casa José Sarto (PDT) evitou colocar a leitura do parecer de modo virtual. Beto ainda destaca outros processos que Andre Fernandes tem de lidar:

“Não é o único processo disciplinar que o Andre Fernandes enfrenta não, tem mais duas ações que foram dada entradas pelo PDT e também pelo PSDB, logo naquele episódio que ele acusou o Secretário de Saúde, doutor Cabeto de fraudar os atestados de óbito, imputando a esses atestados de Covid como se na realidade elas tivessem tido outra causa, mas colocando como Covid. Isso gerou duas representações, então além desse processo tem mais esses dois”

Posteriormente, Luzenor destaca que no PSL (Partido Social Liberal), algumas lideranças da cúpula nacional da sigla querem a cassação do mandato de André pelo PSL. Beto pontua que o deputado pediu sua desfiliação do partido em julho, mas que ele cometeu alguns erros que podem o comprometer:

“Ele entrou em acordo com o presidente do diretório estadual, que é o deputado federal Heitor Freire e recebeu um requerimento, assinou esse requerimento, onde o presidente do PSL aceitava o pedido de desfiliação. Só que o Andre Fernandes, não sei se por inexperiência dele e também da própria assessoria jurídica, não colocou a causa, a justifica pela qual ele está se desfiliando”, afirmou Beto.

Conforme o parlamentar estadual Delegado Cavalcante, André pode ter sido vítima de uma pegadinha, onde acertaram o acordo e ele simplesmente assinou. Beto diz que esse possível erro de André pode acabar trazendo fortes dores de cabeça para André Fernandes:

“Ele vai ter aí uma dor de cabeça, mais até do que na Assembleia Legislativa. Porque aqui é uma suspensão de 30 dias do mandato, é ruim, é a primeira vez que acontece isso na Assembleia. Mas no caso aí da Justiça Eleitoral, isso sim vai dar uma dor de cabeça, porque inclusive uma das peças assinada pelo próprio presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, o que mostra claramente o interesse que o partido tem em provocar essa cizânia”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp