Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Crise deflagrada! O Partido Social Liberal (PSL), agremiação política que saiu do desconhecimento para se tornar a terceira maior bancada na Câmara Federal, vive profundo momento de tensão após o vazamento de áudio do presidente Jair Bolsonaro em articulação para tomada da liderança nacional do PSL. A situação foi destaque no Jornal Alerta Geral desta sexta-feira (18).

Os vazamentos são atribuídos ao deputado federal Heitor Freire, representante de Bolsonaro no Ceará, o qual confirmou a conversa, mas negou, em nota, a exposição pública dos diálogos. No entanto, a negativa não foi suficiente para o deputado estadual André Fernandes (PSL-CE), que chamou Freire de “traidor”, “covarde” e “pilantra” em vídeo divulgado nas redes sociais. As afirmações intensificaram ainda mais a animosidade entre os dois e a crise no partido.

Para o jornalista Luzenor de Oliveira, o parlamentar André Fernandes aproveitou o momento para se vingar de Heitor Freire que o destituiu da liderança do PSL em Fortaleza em meados de junho deste ano:

Com a entrada de André Fernandes nessa discussão, mostra aí o sentimento de quem queria vingança e de quem aproveitou esse momento de derrapada do deputado federal Heitor Freire, se é que ele é autor desse vazamento. É um episódio que marca esses 10 meses de PSL, de uma nova estrutura tanto no Ceará quanto no Congresso Nacional

Em sua defesa, o deputado Heitor Freire afirmou que irá procurar na justiça as ações adequadas para investigar a origem dessa divulgação indevida e também irá agir contra as falsas acusações de deputados e da mídia contra sua pessoa. Na visão do jornalista Beto Almeida a crise evidenciada no partido do presidente nunca foi vista na recente democracia do país:

Essa crise é sem precedente, quando a gente observa uma relação de alta combustão como essa entre o partido que é governista, o presidente da República e seus comandados. Eu não lembro de um momento de crise na atual democracia, uma situação tão constrangedora para um presidente da República quanto essa

O conteúdo dos áudios traz conversas de Jair Bolsonaro com deputados sobre o plano de arrematar a liderança nacional do PSL, atualmente sob comando de Luciano Bivar (PSL-PE), e comprova que o presidente aliou-se com outros parlamentares alinhados a fim de destituir Delegado Waldir (PSL-GO) do cargo de líder da sigla na Câmara e substituí-lo pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), seu filho.

Os planos não obtiveram sucesso e a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara dos Deputados decidiu manter Waldir no comando após analisar as listas protocoladas, uma pedindo sua saída e outra sua permanência, evidenciando assim a divisão e guerra dentro do partido entre “Bolsonaristas” e “Bivaristas”, gerando retaliações de ambos os lados que ainda devem render muitos episódios.

Eleições 2020

No que se refere ao pleito municipal do ano vindouro, o jornalista Beto Almeida analisa que, mesmo confirmando ou não a autoria do vazamento, Heitor Freire perde qualquer apoio de Bolsonaro para 2020 por ter assinado o protocolo contra a nomeação de Eduardo Bolsonaro para o comando do partido, entrando assim em linha de confronto contra o presidente.

Além disso, por outro lado, Beto afirma que André Fernandes pode ser até expulso do partido tendo em vista que a liderança da sigla segue nas mãos de Luciano Bivar e também de Heitor Freire que é seu inimigo declarado, bem como do parlamentar Delegado Cavalcante. Por fim, Beto conjectura pensando em 2020:

É óbvio que o Heitor vai ter o controle sobre o nome indicado pelo PSL, mas com certeza se Heitor tinha pretensão de ocupar algum cargo de vice-prefeito numa aliança com Capitão Wagner ou seja lá com quem fosse com o apoio do presidente Bolsonaro, Heitor Freire também esqueça, ele pode até fazer isso pelo PSL, mas sem mais o nome de Bolsonaro, já Andre Fernandes é o nome de Bolsonaro para 2020

 

Leia mais:

+ Conflito interno arrasta Heitor Freire para o centro da crise no PSL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp