Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Principal programa de transferência de renda do Brasil, o Bolsa Família tem beneficiado cada vez mais pessoas em Caucaia graças a um trabalho da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SDS). Nos últimos meses, as famílias pertencentes aos principais Grupos Populacionais, Tradicionais e Específicos (GPTE’s) cadastradas no programa federal aumentaram 49%.

Os GPTE’s são índios, quilombolas, ciganos, pessoas em situação de rua e catadores de material reciclável, por exemplo. Conforme relatório do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), somente 679 famílias caucaienses com essas características recebiam o Bolsa Família em julho de 2016. O total hoje em dia (estatística referente a março último) é de 1.013 famílias.

“O Bolsa Família é federal, mas o acompanhamento da Prefeitura é fundamental para as pessoas saberem que têm direito ao benefício. Mais gente recebendo esse dinheiro significa mais uma frente de luta nossa contra a pobreza e a favor da inclusão social”, avalia o prefeito Naumi Amorim.

Também houve aumento no tocante à quantidade de famílias com registro no Cadastro Único, porta de acesso a diversos outros programas sociais. Eram 999 em julho de 2016; agora são 1.476 famílias. Um crescimento de 47% em pouco mais de um ano e meio.

Parte desse excelente desempenho é resultado de mutirões de atualização cadastral e inserção no Cadastro Único promovidos pela SDS. Os GPTE’s são considerados prioritários por terem políticas públicas especificas. Por isso, a coordenação do CadÚnico caucaiense tem mantido parcerias visando o fortalecimento das ações com outros órgãos, como o Centro de Apoio Operacional da Cidadania do Ministério Público do estado (Caocidadania).

Entre os indígenas, por exemplo, as 633 famílias inscritas no programa federal recebem em média R$ 163 mensais de benefício. “Nossas visitas a essas comunidades são importantes para elas possam se autoidentificarem. Por conta do preconceito que a maioria sofre, eles acabam tendo a dificuldade de identificação”, pontua a coordenadora do Cadastro Único em Caucaia, Célia Viana.

OS NÚMEROS
JULHO DE 2016
Famílias indígenas com registro no Cadastro Único: 749
Famílias indígenas que recebem Bolsa Família: 512
Famílias quilombolas com registro no Cadastro Único: 159
Famílias quilombolas que recebem Bolsa Família: 86
Famílias ciganas com registro no Cadastro Único: 0
Famílias ciganas que recebem Bolsa Família: 0
Famílias em situação de rua com registro no Cadastro Único: 9
Famílias em situação de rua que recebem Bolsa Família: 8
Famílias de catadores de material reciclável com registro no Cadastro Único: 82
Famílias de catadores de material reciclável que recebem Bolsa Família: 73

MARÇO DE 2018
Famílias indígenas com registro no Cadastro Único: 943
Famílias indígenas que recebem Bolsa Família: 633
Famílias quilombolas com registro no Cadastro Único: 219
Famílias quilombolas que recebem Bolsa Família: 117
Famílias ciganas com registro no Cadastro Único: 10
Famílias ciganas que recebem Bolsa Família: –
Famílias em situação de rua com registro no Cadastro Único: 150
Famílias em situação de rua que recebem Bolsa Família: 141
Famílias de material reciclável com registro no Cadastro Único: 154
Famílias de material reciclável que recebem Bolsa Família: 122

Com informações da Prefeitura de Caucaia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp