Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A pandemia do novo coronavírus que tem chegado a diversos países e já atinge o Brasil, tem se alastrado tanto na população quando nas autoridades que buscam conter a disseminação do vírus. Ocupando um cargo no centro do poder político nacional, o presidente do Senador, Davi Alcolumbre, testou positivo para covid-19. Já em escala estadual, a vice-governadora Izolda Cela, também, tem teste positivo para a doença.

No Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (19), os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, discutiram sobre a situação que tem trazido muitas mudanças no cotidiano da população.

Luzenor destaca que a cada dia se verificam mais confirmações de teste positivo para o Covid-19. Entre os casos estão os de alguns parlamentares, como o deputado estadual Júlio César Filho, do ex-prefeito de Sobral Veveu Arruda, da vice-governadora Izolda Cela, o ex-deputado estadual Carlos Matos e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

“São casos e mais casos que despertam a curiosidade em todo o Brasil, que chamam a atenção das autoridades de saúde e que mostram, também, que a pandemia se expande no Brasil em todos os estados brasileiros, como acontece aqui”, afirma o jornalista.

Ele ainda salienta que como reflexo da situação, se pode perceber uma diminuição da movimentação em ruas e avenidas tanto no interior do Ceará, quanto na Grande Fortaleza. Luzenor aponta que a suspensão das aulas em escolas e universidades públicas, uma das medidas anunciada pelo Governo do Ceará para conter a propagação do vírus, foi um dos principais indutores para a desaceleração do ritmo na capital.

“Sem aulas, sem circulação de professores, de funcionários, de estudantes, nós temos, em princípio, interrompida essa cadeia de transmissão. A cada dia temos um número muito grande de pessoas se movimentando e nesse cenário, quanto mais movimento, quanto mais abraço, quanto mais carinho, quanto mais afeto e apertos de mãos mais fica o risco do coronavírus”, pondera Luzenor.

Beto aponta que para que se barre o avanço da pandemia é necessário que aja o isolamento social, onde, voluntariamente, a população permanece em suas casas, evitando ao máximo se deslocar pela cidade, para diminuir o contato com outras pessoas e evitar a transmissão da doença.

“Não precisa ser algo impositivo, colocado  a força pelo governo. Basta que cada cidadão tenha a consciência, tenha o entendimento de que ele precisa restringir suas atividades ao máximo possível, com o mínimo necessário de movimentos,  para proteger a si próprio, proteger aqueles que ele ama e proteger a todos que estão a sua volta”, afirma Beto.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp