Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

No final da tarde desta sexta-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que ficou decepcionado com o posicionamento do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, na manhã de hoje.

+Veja mais

Moro sai, Bolsonaro perde um dos sustentáculos do Governo e Estado do Ceará fica sem um bom interlocutor

Além disso, segundo o presidente, o ex-ministro pediu para ser indicado a uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) antes que Valeixo fosse exonerado da direção da PF. Segundo Bolsonaro, Moro afirmou: “O senhor pode exonerar (Valeixo) em novembro, depois que me indicar para o Supremo Tribunal Federal”.

Ele ainda afirmou que “não são verdadeiras as declarações [de Moro] de que eu gostaria de saber de investigações [da PF] em andamento”.

Mais cedo, o ex-juiz declarou que o mandatário trocou o comando da PF para ter acesso a investigações e relatórios da entidade, o que é proibido pela legislação. Também declarou que Bolsonaro estava preocupado com inquéritos que correm atualmente no STF (Supremo Tribunal Federal).

No pronunciamento desta tarde, Bolsonaro defendeu a exoneração de Valeixo.

Se eu posso trocar o ministro, por que não posso trocar o diretor da PF? Eu não tenho que pedir autorização a ninguém para trocar o diretor ou qualquer um outro que esteja na pirâmide hierárquica do poder Executivo.

Bolsonaro fez o pronunciamento rodeado de apoiadores, entre eles o vice-presidente Hamilton Mourão, os ministros Nelson Teich (Saúde, empossado na semana passada após a demissão de Luiz Henrique Mandetta, Paulo Guedes (Economia), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), Abraham Weintraub (Educação), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Onyx Lorenzoni (Cidadania) e Augusto Heleno (Defesa).

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp