Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O candidato do PSOL no primeiro turno das eleições presidenciais deste ano, Guilherme Boulos, e o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, trocaram farpas pelas redes sociais após o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) afirmar que seu grupo “ocupa terrenos improdutivos e a casa do Bolsonaro não parece muito produtiva”. A frase foi dita por Boulos em um ato público, na quarta, 10, e o público reagiu gritando “Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”.

O candidato do PSL publicou uma resposta nesse domingo, 14. “Esta ameaça vai ser transmitida pela mídia ou só quando eu responder como defenderei minha família e propriedade, tentando me imputar novamente como o maior vilão do universo?”, disse numa conta numa rede social.

Bolsonaro gravou um vídeo ao lado da esposa, Michelle, em que diz que Boulos o ameaçou naquele comício e então fez uma defesa da posse da arma e de fogo “para o cidadão de bem” e o excludente de ilicitude para quem matar um invasor de propriedade.

Bolsonaro também já disse anteriormente que, na Presidência, irá classificar movimentos como o MTST como grupos terroristas. Boulos também postou um vídeo rebatendo o candidato do PSL, dizendo que o MTST “nunca ocupou a casa de ninguém”.

Ele disse que “quem viu o vídeo e junta lé com cré percebe que foi uma ironia”. “O MTST ocupa terrenos e prédios – nunca ocupou a casa de ninguém – que estão abandonados há muito tempo, em situação de abandono e ilegal de acordo com a Constituição”, disse Boulos. “Se buscasse (Bolsonaro) saber, se buscasse minimamente estudar o que é a atuação do movimento social, saberia disso”, rebateu.

Com informações do Jornal Folha de São Paulo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp