Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Brasil teve o melhor agosto dos últimos cinco anos com relação a geração de empregos. Segundo o Ministério do Trabalho foram gerados 110.431 postos de trabalho com carteira assinada.

Conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram registradas 1,353 milhão de contratações e 1,242 milhão de demissões. No ano, o saldo acumulado foi de 568,5 mil vagas formais.

No mês de julho, foram criados 47,3 mil empregos formais. Segundo o governo, em agosto, houve abertura de vagas em sete dos oito setores da economia. O setor da agropecuária foi o único em que houve mais demissões do que contratações. O maior número de empregos criados foi no setor de serviços, com 66.256, depois aparece o comércio com 17.959, Industria de Transformação com 15.764 e Construção Civil 11.800.

Com relação ao trabalho intermitente, o Ministério do Trabalho afirma que foram 5.987 admissões e 1.991 desligamentos em agosto deste ano. O saldo positivo foi 3.996 empregos no período.

Foram registradas no mês passado, também, 7.374 admissões em regime de trabalho parcial e 4.209 desligamentos, gerando saldo positivo de 3.165 empregos. O salário médio de admissão foi de R$ 1.541,53 em agosto, o que representa alta real de R$ 5,26 em relação a julho.