Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Há um mês da reunião que elegerá o novo comando do PSDB, o senador Aécio Neves (MG) fez um gesto brusco nesta quinta-feira (9): reassumiu a presidência do partido, afastando, assim, o senador Tasso Jereissati (CE), que comandava a sigla interinamente. O ato truculento de Aécio repercutiu muito mal no ninho tucano e pode decretar uma debandada geral do partido.

Tasso tem o apoio dos chamados “Cabeças Pretas” do PSDB, que querem o desembarque da sigla do Governo Temer. Por outro lado, a atitude inesperada de Aécio reforça a candidatura da Tasso, que agora ganha mais fôlego para disputar a presidência da sigla. Tasso ao anunciar sua candidatura falou contra a corrupção e disse que o partido precisa de um novo código de ética.

Aécio e Tasso tiveram uma conversa ríspida no começo da tarde. Aécio pediu que o colega entregasse o cargo, mas Tasso disse que preferia que a decisão partisse do próprio Aécio.

Esse é mais um capítulo do duelo entre as duas alas do PSDB: a que defende o afastamento do governo (próxima ao grupo de Tasso) e a que prega a continuidade da aliança com o presidente Michel Temer (próxima ao grupo de Aécio).

A candidatura de Tasso se opõe à do governador de Goiás, Marconi Perillo, que é apoiado pelo grupo de Aécio.

Com informações G1