Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Foram reiniciadas as escavações em busca do corpo do advogado Aldrin Helânio Coelho Fonteles, de 49 anos, que foram suspensas no fim da noite de sábado. As equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Departamento de Inteligência Policial (DIP) estiveram no sábado (18) no local onde o caseiro Antônio Rodrigo de Sousa disse ter jogado o corpo da vítima, mas o cadáver ainda não foi encontrado.

Uma retroescavadeira faz a remoção da terra, na tentativa de localizar a vítima. Segundo a Polícia, o poço onde Aldrin Fonteles teria sido jogado tem 14 metros de profundidade. O crime ocorreu no loteamento Novo Iguape, em Aquiraz, no sítio de propriedade da vítima.

O caseiro e a esposa dele, Marina Ivone do Nascimento, disseram à Polícia que se desentenderam com o advogado e isto teria desencadeado o homicídio. Rodrigo Sousa conta que estrangulou a vítima, depois jogou o corpo na cacimba e cimentou a tampa, na tentativa de escondê-la. Aldrin estava desaparecido desde a última quarta-feira.

A Polícia considera a “história dos suspeitos mal contada”, mas “não tinha dúvidas da autoria”.