Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Salmito Filho (PDT), recebeu visita do ex-deputado estadual Osmar Diógenes, presidente do Memorial da Assembleia Legislativa do Ceará Deputado Pontes Neto (MALCE) , e do ex-governador Lúcio Alcântara, atual presidente do Instituto do Ceará. O encontro teve como objetivo estreitar os laços entre as instituições e firmar uma parceria para preservar o acervo histórico de ambas as casas legislativas.

Vale destacar, que o Instituto do Ceará detém vasto acervo histórico, cultural e antropológico do Estado. Dentre os documentos arquivados no local, encontram-se documentações datadas dos séculos 18, 19 e início do 20, que contam a história da Câmara Municipal de Fortaleza.

O presidente do Instituto do Ceará, Lúcio Alcântara, destacou que o objetivo da visita é firmar uma parceria entre a Câmara Municipal de Fortaleza e o Instituto do Ceará. “Estamos apresentando ao presidente Salmito Filho, um projeto para restaurarmos e digitalizarmos as atas da Câmara de Fortaleza que datam dos anos de 1758 a 1909. Os documentos encontram-se em condições precárias e é preciso agir para evitar que se deteriore e não percamos a história da cidade” evidenciou.

O Coordenador e Historiador do Instituto de Pesquisa Américo Barreira – IPAB, Juarez Leitão, enfatizou que este momento é de extrema importância para o resgate da história da Casa Legislativa e da cidade de Fortaleza. “No momento que o Instituto do Ceará, a Instituição mais antiga do Estado, criada em 1887, nos disponibiliza seu acervo que conta 200 anos de história da Câmara de Fortaleza, nos deixam felizes”, disse o coordenador.

O presidente Salmito Filho destacou que o projeto servirá para o resgate histórico da cidade servindo de base de pesquisa para sociólogos, historiadores, cientistas políticos, antropólogos, geógrafos e pesquisadores. “É uma documentação de séculos passados e faz parte da história do Poder Legislativo e da cidade de Fortaleza. A Câmara de tem todo interesse Institucional em recuperar, garantir e salvaguardar os arquivos para que sejam tiradas as cópias em meio digital, dentro da boa técnica, para que os pesquisadores tenham acesso e as gerações futuras também”, finalizou o parlamentar.