Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A candidatura do cearense André Figueiredo (PDT) à Presidência da Câmara Federal, criou um contraponto ao presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), gerou expectativas para alguns parlamentares que a estimularam no primeiro momento, mas a duas semanas para escolha do novo comando do Legislativo, expõe fragilidade  e poderá, nesta segunda-feira, ser rifada pela própria bancada pedetista.

André, que se lançou como candidato de oposição a Maia e ao Governo Temer, não conseguiu atrair o apoio do PT, do PC do B, nem dentro da bancada do PDT. Dos 16 deputados federais do PDT, poucos acreditaram na candidatura de André Figueiredo. A bancada pedetista se reúne, nessa segunda-feira, em Brasília, para selar o destino de André Figueiredo.

O quadro atual mostra o favoritismo de Rodrigo Maia que ganhou o apoio do Palácio do Planalto. Dois outros candidatos – Jovair Arantes (PTB) e Rogério Rosso (PSD), concorrem à Presidência da Câmara Federal e tentam levar a eleição para o segundo turno.