Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com a campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, a Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa definiu várias atividades em Fortaleza.A programação começa com audiência pública nesta quinta-feira (23/11), às 14h, na Câmara Municipal de Fortaleza. O segundo debate ocorrerá na Praça da Gentilândia, no dia 24 de novembro, às 16h.
A Assembleia Legislativa vai sediar dois eventos. O primeiro é o Seminário Pelo Fim da Violência contra a Mulher, no dia 27 de novembro, das 8h às 17h; o segundo será no dia 4 de dezembro, às 16h, com a solenidade de entrega da Comenda Jana Barroso. Cearense, ela foi uma militante do Partido Comunista do Brasil combatente na Guerrilha do Araguaia.

Sensibilizar a sociedade em torno do enfrentamento à violência contra a mulher, promover a equidade de gênero e valorizar da mulher negra são algumas das linhas de ação. Palestras, audiências públicas, capacitação, caminhadas, mesas de debate, rodas de conversa, seminários, blitze informativas, distribuição de material e atividades culturais, abrangendo os diversos espaços na Capital e no Interior, estão entre as atividades.

“Apesar da boa legislação que temos no País, faltam discussões e debates sobre os direitos e a segurança da mulher”, diz a procuradora Especial da Mulher, deputada Augusta Brito (PCdoB). De acordo com a parlamentar, a realidade é que a mulher ainda sofre muita discriminação em todos os lugares. Por isso, campanhas como essa são necessárias. “Toda forma de combate à violência contra a mulher é urgente. Esperamos contar com a participação massiva da população”, acrescenta a Augusta Brito.

As ações envolvem ainda a capacitação para profissionais de segurança pública, no dia 28 de novembro, das 8h às 17h, na Academia Estadual de Segurança Pública. Haverá ainda prestação de Serviços no Dia Mundial de Luta contra a Aids, em 1º de dezembro, a partir das 8h, na Praça do Ferreira. No dia 10 de dezembro, às 16h, acontecem ato e caminhada contra o feminicídio. Para o interior do Estado, estão programadas oficinas, blitze e rodas de conversa, com datas a confirmar.

A iniciativa é resultado de uma articulação entre o Governo do Ceará, por meio da Coordenadoria da Mulher; Assembleia Legislativa ‒ Procuradoria Especial da Mulher; Conselho Cearense dos Direitos da Mulher; Câmara Municipal de Fortaleza e organizações organizações da sociedade.

Com informações da Agência AL