Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A falta de policiamento nas ruas de Vitória levou a prefeitura a suspender o início do ano letivo na rede municipal na manhã desta segunda-feira (6). Escolas e faculdades particulares também não devem abrir. As unidades de saúde da capital não irão funcionar, com exceção dos pronto-atendimentos da Praia do Suá e São Pedro. Nesta manhã, o governo do informou que trocou o comando da Polícia Militar  pediu o apoio do Exército.

A Polícia Militar está fora das ruas desde a madrugada de sábado (4). Familiarea protestam e impedem a saída de carros da policiais dos quartéis. As manifestações acontecem em toda a Região Metropolitana de Vitória, Guarapari, Linhares e Aracruz, Colatina e Piúma.

Além de reajuste salarial, os familiares pedem o pagamento de auxílio-alimentação e adicionais noturno e por periculosidade e insalubridade. Também são denunciados o sucateamento da frota e falta de perspectiva de carreira. Eles protestam no lugar dos policiais militares, que são proibidos pelo Código Penal Militar de fazer greve ou paralisação. A pena para o PM que participar em atos desse tipo pode chegar a dois anos de prisão.

A falta de policiamento vem provocando confusão e insegurança. Ônibus incendiado, guaritas da PM queimadas e relatos de arrastões e assaltos a lojas deixam um rastro de pânico. Segundo o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Sargento Renato, há manifestantes inclusive em frente à cavalaria, Batalhão de Missões Especiais (BME), Batalhão de Trânsito e Quartel General da PM.

 

Fonte: R7 CE