Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Antes mesmo de o coronavírus circular na América Latina, o Governo do Ceará já se preparava para o enfrentamento à doença. Lançado em fevereiro deste ano, o Plano de Contingência Estadual previa, entre outras ações, a capacitação de profissionais de saúde em respostas rápidas para atendimento a casos de Covid-19.

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), em parceria com as unidades hospitalares da rede pública do Estado e a Escola de Saúde Pública Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE), possibilitou diversas formações que, ao todo, capacitaram cerca de dois mil profissionais.

A partir da realização de webconferências no canal no Youtube e no site da ESP/CE, foi possível abordar temas como cenário epidemiológico, abordagem clínica e estudos científicos sobre o tratamento da doença. Até o momento, profissionais de saúde de todo o estado puderam acompanhar seis transmissões. Os encontros permitem a troca de conhecimento e o esclarecimento de dúvidas por meio de um chat.

Além das capacitações online, a ESP/CE organizou formações presenciais em cidades como Fortaleza, Aracati, Sobral, Quixadá e Juazeiro do Norte. 954 médicos, enfermeiros, residentes e outros profissionais que atuam em postos de saúde, hospitais e Unidades de Pronto Atendimento foram treinados.

“São nesses momentos e nessas capacitações que a gente consegue sentir a realidade e tomar algumas decisões para a melhoria dos serviços, de modo que as coisas ocorram da forma mais correta possível e não envolvam riscos tanto para os profissionais quanto para os pacientes”, explicou o técnico educacional do Centro de Desenvolvimento Educacional em Saúde da ESP/CE, Rafael Dantas.

Capacitação nos hospitais

As unidades hospitalares do Governo do Estado também proporcionaram capacitações às equipes de saúde e aos demais colaboradores. No Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), em Quixeramobim, 603 profissionais da assistência receberam um ciclo de 22 treinamentos. Na pauta, fluxograma, paramentação e desparamentação de Equipamento de Proteção Individual (EPI) e discussão de notas técnicas.

Iniciativas semelhantes aconteceram no Hospital Regional Norte (HRN), em Sobral. As abordagens contemplaram, em especial, as equipes da emergência, além de outros serviços como UTI, imagem, clínicas médica e cirúrgica. Em Fortaleza, o Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes capacitou cerca de 500 profissionais sobre o contágio da doença, a importância dos cuidados com a segurança e o procedimento correto do EPI. Outros quatro treinamentos atenderam profissionais de saúde do Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ).

No Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), os treinamentos envolveram chefias das áreas médicas, técnicas e administrativas. Foram repassadas informações sobre os sintomas, contágio e prevenção, os índices de infectabilidade e letalidade, perfil epidemiológico de gestantes, neonatais e adultos em geral. No último domingo, 22, a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar da unidade realizou treinamento em serviço sobre o uso correto de EPI’s para cerca de 50 profissionais. O Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara desenvolveu uma atividade com o mesmo objetivo.

Simulação Realística

No Hospital Geral de Fortaleza, uma equipe multiprofissional da unidade e da ESP/CE realizou uma simulação realística de atendimento a pacientes com suspeita de coronavírus. A ação abordou as diversas etapas do fluxo de atendimento. Nesta segunda-feira, 24, foi a vez do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto promover uma simulação.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp