Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O meio ambiente continua sendo vítima de diversas ações irregulares em Fortaleza. Em 2020, permanecem os desafios contra a poluição atmosférica, hídrica, visual, sonora e do solo. A Agência de Fiscalização de Fortaleza, criada em 2015, registrou 2.222 autuações no primeiro ano de funcionamento. Em 2019, o órgão contabilizou 3.395 – representando uma média de 282 autuações por mês.

Ao mesmo tempo, a fiscalização subiu nos últimos cinco anos. Em 2015, o órgão realizou 4.731 fiscalizações. Em 2019, o número foi de 11.032 ações. De 1º a 16 de janeiro de 2020, a Agência de Fiscalização de Fortaleza somou 106 autuações, referentes à poluição atmosférica, hídrica, visual, sonora e do solo, entre outros irregularidades. Em 2019, as fiscalizações do órgão municipal ganharam intensificação, principalmente na autuação de descarte irregular de resíduos sólidos. Despejar entulho de obras ou sacos de lixo em vias públicas foi tão recorrente que o órgão aumentou a fiscalização de resíduos sólidos em 64%, comparando os últimos dois anos. Em 2018, 3.451 fiscalizações de resíduos sólidos foram realizadas na capital. No ano passado, o número aumentou para 4.787. Ao mesmo tempo, as autuações em operações especiais – ações com presença de equipe multidisciplinar – também cresceram. Em 2018, o número era de 51 chamados. Já em 2019, foram registrados 100 – aumento de 96%.

Na fiscalização de resíduos sólidos, a Agência de Fiscalização de Fortaleza atua na identificação dos grandes geradores de resíduos que não adotam o procedimento adequado com o lixo que produzem; na apreensão de veículos que forem flagrados realizando irregularmente o transporte e despejo dos resíduos em áreas não permitidas; e na identificação e autuação de proprietários de terrenos particulares cujos imóveis estejam sendo usados como depósito de lixo. A ação da Agência contempla também o controle da poluição sonora, visual, atmosférica, hídrica e do solo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp