Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O número crescente de casos dessas doenças levou a Secretaria de Saúde do Estado a mobilizar os municípios para um alerta sobre a necessidade de ações mais intensificadas para barrar o avanço da chikungunya.

A campanha Todos Contra o Mosquito, do Governo do Estado, recomenda que a eliminação de criadouros do mosquito deve ser realizada pelo menos uma vez por semana. O governo aponta que a maioria dos focos do mosquito aedes é encontrado dentro das casas.

Chikungunya e os sintomas

Fique atento:entre quatro e oito dias, após a picada do mosquito infectado, o paciente apresenta febre repentina acompanhada de dores nas articulações.

Mas há outros sintomas:dor de cabeça, dor muscular e náusea. É comum, também, o surgimento de manchas avermelhadas na pele. Esses sintomas fazem com que o quadro seja parecido com o da dengue. A principal diferença são as intensas dores articulares.

As dores musculares podem se estender por 30 dias, por alguns meses ou anos. Segundo a Organização Mundial de Saúde, complicações graves são incomuns. Em casos mais raros, há relatos de complicações cardíacas e neurológicas, principalmente em pacientes idosos. Com frequência, os sintomas são tão brandos que a infecção não chega a ser identificada, ou é erroneamente diagnosticada como dengue.