Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A relação política e administrativa entre o prefeito de Caucaia, Naumi Amorim (PMB),  e o ex-prefeito José Gerardo Arruda (PMDB), pai da vice Lívia (PTB), está estrangulada. A convivência entre ambos é ruim e, sequer, há clima para conversas mais longas sobre o dia-a-dia da administração municipal.

”O ambiente é como uma gangorra. Tem bom dia, mas não tem boa tarde. Não há clima para muito papo, nem muita conversa”, disse uma fonte do Jornal Grande Porto, que convive no meio da guerra política. O rompimento entre Naumi e Zé está configurado, mas não oficializado. São menos de 30 dias de Governo e, nesse período, está bem claro o confronto na cúpula da Prefeitura do Município.

As divergências começaram após o segundo turno da eleição quando Zé Gerardo se queixou para correligionários que as suas expectativas sobre a indicação de aliados para cargos estavam se esvaindo. O motivo: Naumi dava sinais de descumprimento do acordo com o PMDB e PTB para ocupação de espaços em seu  Governo.

O conflito ganhou ainda mais visibilidade com a indicação do ex-vereador e empresário Hugo Pontes para Presidência do Instituto de Meio Ambiente do Município (IMAC). O cargo, no acordo com Naumi, deveria ter sido  ocupado por um aliado de Zé Gerardo. Acendia-se, assim, mais uma brasa na fogueira da guerra de bastidores travada da gestão de Naumi Amorim.

O estopim ainda estava por vir e, nos últimos dias, surgiram outros sinais para o clima de rompimento entre Naumi e Zé. ”As conversas dão conta que Naumi não cumprirá o acordo para apoiar o Zé à Câmara Federal. A boataria, que parece ser verdade, incendiou a relação dos dois”, acrescentou a fonte do Grande Porto. Naumi tem compromissos na eleição para deputado federal com Genecias Noronha (SD), Domingos Neto (PSD), Danilo Forte (PSB) e José Airton (PT).

Com informações do Jornal Grande Porto.