Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Destaque na política de transplante, o Governo do Estado assegurou a continuidade do programa de doação de órgãos durante a pandemia. Na garantia de todas as medidas de segurança no ambiente hospitalar, o Ceará foi o primeiro estado a realizar o teste de diagnóstico da Covid-19 (RT-PCR) para todos os doadores de órgão.

Segundo a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), apesar da redução nos programas de transplantes devido aos efeitos da pandemia, no primeiro semestre foram realizados 446 transplantes e, deste total, 212 foram de córnea.

“O momento também é de agradecer os profissionais da saúde envolvidos no processo de doação e transplante. Agradecemos também a solidariedade do povo cearense neste momento”, disse a Coordenadora da Central de Transplantes, Eliana Barbosa.

Com a redução dos números de infectados com o novo coronavírus e a proporcional desocupação dos leitos de UTIs, o Governo do Estado já vem gradualmente retornando as atividades para a retomada dos procedimentos de transplantes e doações com o objetivo de continuar salvando vidas.

A redução na captação de órgãos seguiu, segundo a Sesa, as recomendações do Ministério da Saúde em nota técnica nº 25/2020, ficando suspensas a busca ativa e captação de doadores. A realização de transplantes, conforme a Secretaria, só ocorriam em situações de urgência, após investigação laboratorial confirmatória para SARS-CoV-2. Atualmente o estado do Ceará conta com 983 pessoas na fila de espera para receber um novo órgão.

(*)com informação da CMF

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp