Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Apesar do cenário de pandemia, o Ceará apresentou crescimento na produção industrial, ficando em primeiro lugar no ranking nacional, segundo levantamento do IBGE.

Com 34,5% de crescimento em julho deste ano, a perspectiva é que a economia do Estado esteja em recuperação, após decreto do Governo autorizando o retorno das atividades de alguns setores da economia, como a construção civil, serviços e comércio. É o que afirma O secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará, Maia Júnior.

Se comparado ao mesmo período de 2019, a produção industrial cearense teve um acréscimo de 2,7%, com destaque para a produção de alimentos (36,7%), metalurgia (26,7%) e fabricação de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (24%).

Os números do Ceará ganham ainda mais relevância no comparativo à média da Região Nordeste, que foi de 17,5%.

Além do Ceará, em primeiro, Espírito Santo (28,3%), Amazonas (14,6%) e Bahia (11,1%) completam a lista dos quatro Estados mais bem colocados no ranking do IBGE sobre crescimento na produção industrial em julho deste ano.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp