Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Secretária Executiva da indústria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Roseane Medeiros, anunciou, nesta sexta-feira (17) em entrevista ao Jornal Alerta Geral, que o Ceará receberá, a médio prazo, investimentos, do setor privado, na ordem de U$ 20 bi (o que equivale a R$ 100 bi) na instalação de parques de energia eólica e solar na Região Metropolitana de Fortaleza e no interior do Estado.

Segundo a secretária, os investidores veem o Ceará como um local de grande potencial e privilegiado geograficamente para o setor.

“Com esse novo momento que vivemos no Ceará uma verdadeira transformação econômica com o tema Hidrogênio Verde. É importante que o público em geral saiba que o Ceará tem condições impares em todo o Brasil e no mundo”, afirma aSsecretária a ao se referir ao potencial de sol e ventos que o estado dispõe para atrair investimentos na área de energias limpas.

A instalação da Usina de Hidrogênio Verde foi anunciada pelo Governador Camilo Santana no início deste mês. Sua operação deve ser iniciada já em dezembro de 2022, atraindo um total de R$ 41,9 milhões de investimento. O equipamento será instalado no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), a planta será a primeira do grupo, com capacidade de 3 MW e um módulo eletrolisado de última geração para produção do combustível com garantia de origem renovável. A unidade modular terá capacidade de produzir 250 Nm3/h do gás.

Segundo a Secretária, o Ceará tem buscado, cada vez mais, associar economia e sustentabilidade em seus novos empreendimentos.

“O Ceará quer realmente ser um estado sustentável, um estado comprometido com o meio ambiente. (…) O Acordo de Paris diz que os países comprometidos devem reduzir a emissão de carbono até 2050. Os países da Europa são pequenos e não tem território próprio pra essa produção ( de energia renovável). Então o que eles vão fazer? Importar. Nós vamos usar todas as fontes de energias renováveis. E isso é uma grande oportunidade para todo o Ceará. Nós sabemos que o Ceará tem um potencial enorme de energia solar. E vale ressaltar que o estado não é investidor, a energia renovável vai ser feita pelo privado”, destacou Roseane.

Questionada sobre a possibilidade do Ceará se tornar um HUB de Hidrogênio Verde, a secretária afirmou que 5 protocolos de empresas interessadas na compra e produção desse combustível. Além desses, há mais 11 negociações em adiamento. Contudo, ela alerta que o memorando de entendimento debatido entre Estado e investidores é apenas uma apresentação das condições estabelecidas para o possível acordo.

” Por isso foi muito importante o memorando que o Governo assinou com a Federação das Indústrias do Ceará (FIEC), com a Universidade Federal do Ceará e com o próprio Complexo (do Pechem). Isso visa criar um ambiente favorável. Isso (a energia) é nova não só no Ceará, mas no mundo inteiro. A sinergia que vamos precisar são várias, inclusive na qualificação das pessoas”, destacou.

Segundo Roseane, não é só a planta de Hidrogênio Verde que o Ceará tem atraído.  O objetivo é desenvolver toda cadeia do setor. Contudo, ela pondera que para que os acordos sejam firmados, é necessário um esforço de toda sociedade.

“É uma oportunidade ímpar, não tenho menor dúvida. Mas isso não quer dizer que vá acontecer. É um esforço coletivo, não é só do Governo, não é só da FIEV, mas é de toda sociedade. ”, finalizou.

O Jornal Alerta Geral é gerado pela Fm 104,3 , com transmissão para mais de 20 emissoras em todo interior  e pelas redes sociais do Ceará Agora.  Confira abaixo a íntegra da entrevista.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp