Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Ceará gerou 1.653 vagas em janeiro. É o melhor resultado desde o início do levantamento em 2003, segundo o Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego. Ano passado, por exemplo, o número de empregos formais foi negativo registrando a retração de 7.436 vagas.

O Caged apontou que janeiro teve 34.890 admissões, contra 33.237 demissões. O setor de Indústria de Transformação foi o que mais contribuiu para o bom resultado do Ceará. O setor foi responsável por 4.252 contratações. Outro setor que registrou empregos foi o Serviços com 579 contratações e Extrativo Mineral com 32.

Setores em alta

  • Indústria de Transformação, que gerou 4.252 vagas de trabalho
  • Serviços, com 579 contratações

Setores que apresentaram queda

  • Agropecuária, com saldo negativo de vagas de 264 vagas
  • Construção Civil, com retração de 222 vagas
  • Administração Pública, com saldo negativo de 263 vagas.
  • Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP), com saldo negativo de 78 vagas.
  • Comércio, com saldo negativo de 2.383 vagas

Índice nacional

Em janeiro, as contratações formais superaram as demissões em 77.822 vagas, informou o governo. O saldo positivo é a diferença entre as contratações (1.284.498) e as de demissões (1.206.676).

Foi o melhor janeiro em seis anos, ou seja, desde 2012, quando foram abertas 118.895 vagas. Também foi a primeira vez, em quatro anos, que as contratações superaram as demissões no mês de janeiro.

“Os dados do Caged mostram que as medidas tomadas pelo governo para recuperação da economia e dos empregos foram acertadas e estamos no caminho certo”, afirmou, em nota, o ministro do Trabalho em exercício, Helton Yomura.

Em todo o ano passado, a economia brasileira fechou 20.832 postos de trabalho formais.  Foi o terceiro ano seguido em que houve mais demissões do que contratações no país. Entre 2015 e 2017, o país fechou um total de 2,88 milhões de postos.

Com o resultado de janeiro, o estoque de empregos estava, no final daquele mês, em 37,94 milhões de vagas, contra 37,86 milhões em janeiro do ano passado.

Dados regionais

Segundo o Ministério do Trabalho, houve o registro de contratações em três das cinco regiões do país em janeiro deste ano.

A região Sul liderou, com a criação de 46.754 vagas formais, seguida pelas regiões Sudeste (+21.924 postos) e Centro Oeste (+20.421 postos).

Já as regiões Nordeste (-6.035 postos) e Norte (-5.242 postos) apresentaram mais demissões que contratações formais em janeiro.

Com informações G1

 
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp