Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Máscaras, distanciamento social, horário estendido e tantas outras novas medidas que antes não faziam parte da rotina do eleitor no dia da votação, passaram a ser essenciais no pleito deste ano em meio a um cenário de pandemia. Além de alterar as práticas dos eleitores, o novo coronavírus pode ter reflexos no resultado das eleições, diante do número de pessoas que optarem por não sair de casa para votar por medo de se contaminar.

A grande quantidade de eleitores nos locais de votação foi inevitável e, temendo a contaminação em meio a aglomerações, muitos preferiram se abster neste ano. A abstenção é uma realidade que causa inquietação entre os candidatos, que contam com cada voto para poder se eleger e assumir os mandatos de vereador ou o cargo de prefeito dos municípios cearenses. 

De acordo com dados do TSE, nas eleições municipais de 2016, dos mais de 6,3 milhões de cearenses aptos a votar, cerca de 923 mil se abstiveram, o que representou 14,6% do total de eleitores. Neste ano, com um cenário atípico, o número pode ser maior.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp