Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A chuva de quase 60 milímetros em Juazeiro do Norte causou estragos na cidade nesta segunda-feira (2). Árvores e calçadas foram arrancadas, crateras foram abertas e ruas e avenidas alagadas.

Na Avenida Virgílio Távora, principal acesso para o Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, os veículos tiveram dificuldades para trafegar.

No Bairro Timbaúbas, moradores não conseguiram deixar as casas pois a rua ficou alagada. Na Avenida Padre Cícero, que liga Juazeiro do Norte a Crato, muitos carros apresentaram problemas e um deles ficou submerso.
“Toda vez que chove fica assim. Além dos problemas nos veículos”, relata o motorista Antônio Serafim.

Devido a chuva e os ventos, uma árvore caiu na Rua Nossa Senhora do Carmo, no Bairro Limoeiro. A força da água abriu uma cratera na Rua das Dores no Bairro Socorro. O morador Cícero Landim disse que já alertou a prefeitura sobre o perigo da cratera.

“Já fizemos várias reclamações sobre o buraco. Estava se desenhando. A forte chuva um dia ia abrir esse buraco. Eles viam aqui e não resolviam nada. Pior é que essa cratera se aproxima a minha casa”, reclama.

Chuvas na Região do Cariri

Ceará teve chuva em pelo menos 128 dos 184 municípios nesta segunda-feira. Além de Caririaçu, houve boas precipitações em Várzea Alegre (114 mm), Granjeiro (109 mm) e Lavras da Mangabeira (90 mm).

A cidade de Caririaçu, na Região do Cariri do Ceará, registrou nas últimas 24 horas a quarta maior chuva de 2018, segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Conforme a Funceme, uma Zona de Convergência Intertropical – banda de nuvens que circunda a faixa equatorial do globo terrestre, formada pela confluência dos ventos alísios do hemisfério norte com os ventos alísios do hemisfério sul – propicia a formação de chuva na região.

Pior março em volume de chuva desde 2013

O Ceará teve um volume de chuva de 120 milímetros acumulado em março, 40% abaixo da média histórica (203 milímetros) e o pior volume para o mês desde 2013, quando o volume havia sido de 78 milímetros, segundo a Funceme. O dados de março deste ano são parciais e podem ser revisados.
Neste ano, os dias mais chuvosos de março ocorreram no início e fim do mês; entre os dias 4 e 22, as chuvas foram poucas, com média de menos de cinco milímetros no Ceará.

Em janeiro deste ano, as chuvas já haviam ficado abaixo da média histórica. Já em fevereiro o volume ficou 55% acima da média histórica.

Com informações G1

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp