Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Derrotado no primeiro turno das eleições presidenciais de 2018, Ciro Gomes (PDT) foi hostilizado por apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento da União Nacional dos Estudantes (UNE), nesta quinta-feira (7). Para o jornalista Beto Almeida, o ex-governador cearense foi parar na “cova do leão”, fazendo referência aos estudantes da UNE.

A análise foi feita no Jornal Alerta Geral desta sexta-feira (8), entre os jornalista Luzenor de Oliveira e Beto Almeida.

Durante o discurso, o pedetista fez críticas aos apoiadores de Lula e foi vaiado e chamado de corrupto. Ciro rebateu os manifestantes afirmando estar solto, não ser corrupto e nunca ter respondido a nenhum malfeito. Na sequência repetiu a frase que ficou famosa ao ser proferida por seu irmão, o senador Cid Gomes (PDT), “Lula tá preso, babaca!”.

Para o jornalista Beto Almeida, “o que ele está querendo mostrar, claramente, é que não é extremista. Ciro quer mostrar que é uma opção de esquerda“. Após descer do palanque, o pedetista criticou, ainda, o Partido dos Trabalhadores (PT) e criticou, também, setores da esquerda que, segundo ele, se comparam a eleitores da família Bolsonaro, citando as denúncias que envolvem o deputado Eduardo Bolsonaro.

Ciro Gomes também afirmou que a prisão do ex-presidente Lula deve ser encarada como um fato. Segundo ele, ter um líder popular preso deve ser entendido e compreendido, porque senão, os cidadãos vão começar a “delirar”.

O discurso desta ocorreu um dia após Lula ser condenado pela segunda vez na Operação Lava Jato. O ex-presidente foi sentenciado a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do sítio de Atibaia (SP).