Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O número de famílias brasileiras com dívidas caiu 3,9% em 2016 ante 2015, informou nesta terça-feira, 24, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que divulgou a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic).

Na média do ano passado, a Peic identificou 9,2 milhões de famílias endividadas, contra 8,9 milhões em 2015. Com isso, 58 7% do total de famílias entrevistadas disseram ter dívidas ano passado. Em 2015, 61,1% diziam estar nessas condições.

Por outro lado, as famílias que seguem com dívidas estão com mais dificuldade para pagá-las. Entre as famílias endividadas, 23,6% disseram ter contas em atraso, na média de 2016, ante 20 9% em 2015. Em termos absolutos, o número de famílias com contas atrasadas subiu 18,4% de 2015 para 2016, chegando a 3,6 milhões.

Segundo a CNC, como em anos anteriores, o cartão de crédito foi o tipo de dívida mais citado pelos entrevistados. Em 2016, 77,1% das famílias disseram ter esse tipo de dívida. O carnê vem em segundo lugar, apontado por 15,4% dos pesquisados. O crédito pessoal ficou em terceiro, com 10,3%.

“A queda do nível de endividamento e o aumento da inadimplência foram reflexos da retração da economia doméstica em 2016. A desaceleração do consumo proveniente da piora do mercado de trabalho e das altas taxas de juros ocasionou maior dificuldade às famílias para honrar os seus compromissos no período”, diz um trecho da nota divulgada pela CNC.

Estadão Conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp