Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O estudo de impacto ambiental e o relatório de impacto ambiental do projeto da Usina Fotovoltaica Lavras serão analisados pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema), nesta quinta-feira (14), durante a reunião mensal de novembro do colegiado. O empreendimento da empresa Lavras Geração de Energia Elétrica Ltda obteve parecer favorável da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), que aguarda a aprovação do Coema para emitir a licença de instalação.

A usina a ser instalada da localidade de Lavras, no distrito de Sítios Novos, é composta de oito conjuntos de placas, que reúnem 619.710 módulos fotovoltaicos e a potência nominal total de 196,04 megawatts. Segundo o projeto, 300 pessoas serão empregadas, no pico das atividades de implementação do empreendimento. De acordo com o parecer da Semace, a usina de “baixo potencial poluidor-degradador” é também de “interesse público”.

Os impactos ambientais calculados para a fase de instalação serão monitorados e mitigados, por meio de um rol de condicionantes impostas pela autarquia. A área “antropizada” (já alterada pela ação do homem) é praticamente desabitada, com apenas 12 famílias vivendo próximo ao local da obra. “Não haverá nenhuma interação do projeto com as unidades de conservação, bem como em comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas”, avalia a Semace.

A pauta da reunião do Coema prevê ainda a apresentação, discussão e votação da minuta da resolução que dispõe sobre as intervenções consideradas atividades eventuais ou de baixo impacto ambiental, para efeito de licenciamento ambiental. A proposta apresentada pela Semace será analisada pelos 37 integrantes do Coema. Eles representam os interesses do Estado, do Mercado e da Sociedade.

 

 

 

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp