Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O deputado federal Genecias Noronha, que comanda o Solidariedade no Ceará, começa a semana apreensivo com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a ser tomada, nessa terça-feira, e que poderá leva-lo à cassação do mandato e a suspensão dos direitos políticos por abuso do poder econômico nas eleições de 2018.

O mesmo processo, com pedido de cassação de mandato e suspensão de direitos políticos, tem, também, no mesmo julgamento, a deputada estadual Aderlânia Noronha, esposa de Genecias, o atual prefeito de Parambu, Raimundo Noronha Filho, e o vice-prefeito do Município, Luiz Noronha Júnior.

O resultado parcial do julgamento é adverso a Genecias e Aderlânia e o voto dessa terça-feira, a ser dado pelo juiz federal José Vidal da Silva Neto, pode levá-los a respirar, com chances de salvação política, ou pode deixá-los ainda mais angustiados com a possível cassação dos mandatos e suspensão dos direitos políticos.

Se o voto do juiz José Vidal for pela cassação, Genecias e Aderlânia serão punidos por abuso do poder econômico e, após a condenação imposta pelo TRE, deverão recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O quadro jurídico para ambos, porém, é considerado crítico e terá reflexos diretamente na cidade de Parambu porque a decisão do TRE deixará inelegíveis o atual prefeito Raimundo Noronha e o vice Luiz Noronha Júnior. O relator do processo,  desembargador Inácio Cortez, acatou a denúncia do Ministério Público Eleitoral de abuso do poder econômico.

O voto do relator foi seguido foi seguido pelos juízes Roberto Viana e Francisco Eduardo Scorsafava, também favoráveis à cassação de mandatos e suspensão de direitos políticos de Genecias e Aderlânia. Apenas um voto – do juiz Davi Sombra Peixoto, é contrário à punição aos membros da família Noronha.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp