Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com a leitura do expediente da sessão plenária desta terça-feira (06/03), começaram a tramitar na Assembleia Legislativa nove projetos de lei, sendo um de autoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE), três do Poder Executivo, um do Ministério Público e quatro de autoria parlamentar.

O projeto de lei 17/18, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), promove a revisão geral do vencimento dos cargos efetivos, representações e gratificações dos cargos em comissão e dos proventos e pensões do órgão.
O 18/18, de autoria do Poder Executivo, institui o auxílio-alimentação, em pecúnia, aos servidores públicos ativos da administração direta e indireta.

Já o 19/18, também do Executivo, autoriza a abertura de crédito especial da ordem de R$ 12,3 milhões para ações em áreas como segurança, saúde, meio ambiente e melhorias na Secretaria das Cidades e Defensoria Pública Geral do Estado. Entre os investimentos, constam contratação, via concurso, de profissionais do sistema prisional e recuperação de áreas degradadas por lixões a céu aberto.

O projeto nº 20/18, do Poder Executivo, dispõe sobre a reorganização do Instituto de Saúde dos Servidores do Estado do Ceará (Issec), da Instituição do Fundo de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Ceará (Fassec).

De autoria do Ministério Público do Estado do Ceará, o projeto 21/18 promove revisão geral da remuneração dos servidores do referido órgão.

Do deputado Manoel Duca (PDT), o projeto de lei 47/18 denomina de Júlio França a escola estadual de ensino profissionalizante na sede do município de Bela Cruz.

O 48/18, do deputado Agenor Neto (MDB), dispõe sobre a obrigatoriedade do exame de toxoplasmose no Sistema Único de Saúde (SUS) no Ceará.

Enquanto o 49/18, da deputada Aderlânia Noronha (SD), institui, no Calendário de Eventos do Estado, a campanha Mais Mulheres na Política.
O de nº 50/18, da deputada Rachel Marques (PT), institui o ano 2018 como o Ano de Valorização e Defesa dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa no Ceará.

Foi lido ainda comunicado da Companhia de Desenvolvimento do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), informando modificações no Estatuto Social da Cearáportos, antiga denominação da CIPP.

Depois da leitura no Plenário, as matérias seguem para a análise da Procuradoria da AL. Em seguida, para as comissões técnicas da Casa. Se aprovadas, serão encaminhadas para votação no Plenário.

Com Agência AL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp