Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Embora a maioria dos consumidores ainda não tenha intimidade com a tecnologia, o uso de cartões de crédito virtual vem se popularizando no país. A tentativa de quem busca o serviço, em geral, é evitar fraudes, roubo e vazamento de dados pessoais, especialmente em compras pela internet. O Banco do Brasil, por exemplo, registrou um dos maiores crescimentos da modalidade, e a quantidade de transações com o cartão virtual saltou 170%, entre abril de 2017 e maio deste ano.

Os maiores bancos do país e instituições financeiras digitais, como Nubank e Original, também oferecem o serviço. A principal novidade do cartão virtual é a possibilidade de gerar um número de cartão para cada transação, reduzindo a chance de o cartão ser usado por golpistas.

Para o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), o consumidor vítima de fraude envolvendo uso ou clonagem de cartões de crédito tem o direito de pedir a suspensão de compras feitas indevidamente e estorno dos débito das suas contas. De acordo com o Idec, esse direito está amparado pelo artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp