Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A população carcerária foi excluída dos grupos prioritários previstos no plano preliminar para a vacinação contra a covid-19 no país. Os presos integravam a fase 4, depois de profissionais de saúde, idosos e professores, mas já não aparecem na lista divulgada nesta quarta-feira (09) pelo Ministério da Saúde. O cronograma completo deve ser apresentado “em breve” à população, segundo o governo federal.

O documento, recebido pelo ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, ainda passará por uma revisão técnica final antes de ser enviado ao Supremo Tribunal Federal.

Na fase 1, estão inclusos profissionais da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em asilos e instituições psiquiátricas e indígenas. Já a segunda abrange pessoas de 60 a 74 anos. Aqueles com comorbidades, como diabetes, cardiopatias e doenças renais crônicas, que representam maior risco de agravamento da doença, serão vacinados na fase 3. A quarta e última fase, que antes incluía os presos, agora prioriza professores, forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema carcerário.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp