Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os restos mortais do jogador Mané Garricha desapareceram do cemitério de Raiz da Serra, em Magé, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, segundo a família do ex-ídolo do Botafogo. Garrincha, que morreu em janeiro de 1983, aos 49 anos, por problemas de saúde causados pelo álcool, estava enterrado em um túmulo familiar, mas os seus filhos decidiram exumar o corpo para enterrar outro parente no local.

Segundo o jornal “Extra”, Rosângela Cunha Santos, filha do ex-jogador, foi ao cemitério realizar a exumação e descobriu que os restos mortais do pai tinham desaparecido. Conforme Rosângela, ninguém da família sabia ou participou em qualquer exumação. Uma funcionária do cemitério relatou ao “Extra” que o corpo foi exumado e levado para uma gaveta, mas não há documento que comprove essa informação.